A Fundação EDP, em parceria com a Fundação Carmona e Costa e comissariada por Delfim Sardo, apresenta a exposição Afinidades Electivas. Julião Sarmento coleccionador, que pode ser visitada até dia 3 de Janeiro no Museu da Eletricidade e na galeria da Fundação Carmona e Costa :-)

A exposição, que varia entre 2 pólos, o Museu da Eletricidade e a Fundação Carmona e Costa, apresenta mais de 300 obras de cerca de 100 artistas da colecção particular de Julião Sarmento, reunidas ao longo de 3 décadas. Desde desenho, escultura, fotografia, vídeo ou instalações, vais poder espreitar as décadas de 1960 a 2010, não ficando no entanto de fora obras de épocas anteriores.

O núcleo que está presente no Museu da Electricidade apresenta grandes nomes da arte contemporânea nacional, como Eduardo Batarda, Fernando Calhau, Pedro Cabrita Reis, Jorge Molder ou António Palolo, mas também internacionais como Nan Goldin, Cristina Iglesias, Andy Warhol, Rita McBride, Cindy Sherman, Bruce Nauman, Marina Abramovic ou Joseph Beuys. Já a galeria da Fundação Carmona e Costa apresenta desenho e gravura, de Pierre Bonnard a Marcel Duchamp.

Segundo o comissário Delfim Sardo, “A colecção Sarmento não é uma colecção de coleccionador, é uma colecção de artista, na medida em que, através dela, tanto temos acesso às transformações da arte do período que lhe corresponde, como também temos uma visão em espelho do artista sobre as suas opções estéticas, obsessões, interesses e visão sobre o que a arte, em cada momento, pode ser, refletindo a própria obra do autor, vertido em recolector”.

A colecção de Julião Sarmento é marcada pelas ligações do coleccionador aos artistas, mas é “também um tributo aos momentos mais significativos do surgimento de estruturas de mediação da arte em Portugal, desde a exposição Alternativa Zero de 1977 (…) até ao surgimento de galerias como a Quadrum e, mais tarde, a Cómicos”, destaca Delfim Sardo.

A não perder ;-)