Tatiana explora os limites entre a autobiografia, documentário e ficção onde a memória nostálgica insere-se num universo cotidiano em que os erros e experimentos são vividos com naturalidade e aceitação de quem não quer ser nada, apenas partilhar uma sensação ou um misto de existencialismo.

Já agora divulgamos o filme que está, em outubro, no Doc Lisboa:

http://www.doclisboa.org/2017/filmes/o-descanso-na-intensidade-das-cores/