Tensão e Conflito – Arte em Vídeo após 2008 é a nova grande exposição do MAAT que abre ao público a 13 de setembro. Com curadoria de Pedro Gadanho e Luísa Santos, reúne obras de 22 artistas que, dos Estados Unidos e América Latina à Europa e ao Médio Oriente, filmaram visões pessoais sobre os efeitos da grande recessão, a agitação política a ela associada e os aspetos sociais menos óbvios que emergiram da crise financeira global de 2008.

Esta exposição oferece-nos abordagens muito diferentes a um tema comum: a crise financeira de 2008. Estas abordagens, mais ou menos diretas, mais ou menos perturbadoras, mostram-nos a consciência que os artistas têm sobre o seu papel ativo – e não necessariamente “ativista” – na sociedade.

A exposição inclui trabalhos de quatro artistas portugueses: Patrícia Almeida, Paulo Mendes, Francisco Queirós e Maria Trabulo. Participam ainda mais 18 artistas das mais variadas origens geográficas: Halil Altindere (Turquia), Marilá Dardot (Brasil), Bofa da Cara (Angola), Burak Delier (Turquia), Melanie Gilligan (Reino Unido), Lola Gonzàlez (França), Hiwa K (Curdistão), Silvia Kolbowski (USA), Nikolaj Bendix Skyum Larsen (Dinamarca), Marc Larré (Espanha), Jorge Macchi (Argentina),  Mario Pfeifer (Alemanha), Anatoly Shuravlev (Rússia), Federico Solmi (Itália), Pilvi Takala (Finlândia) , Dragana Zarevac (Sérvia), Artur Zmijewski (Polónia), Yorgos Zois (Grécia).

A exposição ocupa a Galeria Principal e a Vídeo Room do MAAT até 19 de março de 2018.