O Festival Materiais Diversos, festival de artes performativas que conjuga as dimensões local, nacional e internacional, comemora com a edição de 2015, 7 anos de vida. O projecto, que nasceu em Minde e estende hoje os seus palcos a Alcanena e Torres Novas, oferece anualmente à população fora dos grandes centros urbanos a possibilidade de uma oferta cultural contemporânea.

Podes assim contar com mais um ano recheado de propostas de artistas consagrados e de jovens criadores, desde dança, teatro ou música, espectáculos para os mais jovens, projectos que integram a comunidade, as associações e indústrias locais.

O Festival, que este ano acontece entre os dias 10 e 19 de Setembro, abre com O Baile, de Aldara Bizarro, que dá palco a um elenco com 30 participantes locais. Este espectáculo evoca os bailes tradicionais de aldeia e de bairro com música ao vivo, que acontecem um pouco por todo o país.

O programa deste ano integra ainda vários outros projectos como:

– A Sonda Espacial – L.Q.F.U.B, um projecto do colectivo Friendly Fire, que acolherá debates e oficinas

– A Pequena Videoteca de Performances sobre Paisagens Brasileiras, com curadoria de Natália Nolli Sasso

– O Arrastão uma dança-concerto com Lander Patrick e Jonas Lopes, que nos dias anteriores orientam um workshop relacionado com o espectáculo

– Apresentação Pública de Ninhou Arts Summer Camp, cuja 1ª edição decorre entre os dias 3 e 13 de setembro, com orientação de Miguel Pereira. Um projecto anual que representa uma oportunidade para os estudantes de artes, em particular de artes performativas, aprofundarem práticas de criação e de colaboração.

– Os Serrenhos do Caldeirão, Exercícios em Antropologia Ficcional, uma criação de de Vera Mantero

-Sopa de Pedra, um grupo vocal feminino dedicado ao canto a capella de canções tradicionais, a grande maioria portuguesa mas também de outros povos.

– Méduses, um trabalho de dança e desenho, do artista belga Vincent Glowionski

– Inês, um solo de dança do artista brasileiro/francês Volmir Cordeiro

– By Heart, uma peça sobre a “importância da transmissão, do invisível contrabando de palavras e ideias que guardar um texto na memória pode oferecer”, de Tiago Rodrigues, que ensinará um poema a 10 pessoas que nunca viram o espectáculo

– Em Sense of Becoming, os Slow is Possible (um septeto português criado em 2013), que partindo da obra de Maya Deren intervém musicalmente em seis dos seus filmes

– Aulas de Dança FMD com Maria Ramos, em residência com o projecto Árida, um laboratório coreográfico acessível a todos os interessados em dança

– Debate público Políticas Culturais para Portugal na legislatura 2015-19

– 5 Minutos Diversos, um aperitivo diário em tom de espaço de comentário e música, lançado diariamente

– Ponto de Encontro, no centro de Minde, o local onde se poderão encontrar todos aqueles que põe o FMD de pé

Mais informações, aqui :)

A não perder ;-)