A Rua das Gaivotas 6 teve início em Outubro de 2015 e a direcção artística está a cargo do Teatro Praga. Nos próximos meses de Setembro e Outubro este espaço enche-se com vários espectáculos numa programação muito recheada de espectáculos e bastante variada, indo do cinema ao teatro.

Em Setembro, a Rua das Gaivotas 6 junta forças com Os Filhos de Lumière com presença regular e ainda para a apresentação de dois filmes no ciclo “No País do Cinema”, dia 15 de Setembro. É também no próximo mês que o projecto curatorial de Susana Pomba, “Old School”, chega à sua 49ª edição. Daniel Lourenço, responsável pelo workshop “Representação e Poder: Políticas da Fala, Políticas do Dizível”, regressa mais uma vez para discutira as relações entre a representação e o poder e como economias de afirmação e supressão nas estruturas representacionais condicionam certas subjectividades e certos lugares de articulação.

De 1 a 3 de Setembro, às 21h30 e dia 4 numa dupla sessão, pelas 18h30 e 21h30, apresenta-se “WTF: para um princípio da normalidade”, uma performance de Tiago Bôto e Wagner Borges. “Wild Horse Run”, peça de Andrea Hackl e Ivan Shopov sobre liberdade e coragem, tem datas marcadas para 8 e 9 de Setembro, às 21h30. “Melania Melanoma”, um “experimentalismo social” de Miguel Loureiro, pode ser visto de 12 a 14 de Setembro, pelas 21h30. No dia 16, às 22h, há ainda um espectáculo audiovisual da autoria de Frederico Dinis. “Whisperings” procura envolver o espectador numa névoa de recolhimento, uma experiência meditativa e intimista. Para terminar a programação do mês de Setembro, os Silly Season levam à Rua das Gaivotas 6 o projecto REHAB, nos dias 26 e 27.

Em Outubro, a Rua das Gaivotas 6 acolhe no seu espaço dois festivais: o Festival Silêncio, um festival transdisciplinar e participativo que celebra a palavra como veículo de conhecimento e como acto de criação, que exibe no nosso espaço a instalação Rochedo, e o Festival Temps d’Image, festival de artes performativas e media art, representado nas Gaivotas 6 pelo espectáculo Bibi Ha Bibi, que se apresenta como um ritual contemporâneo aliando várias formas de sagrado moderno, da luta desportiva ao canto tradicional inuita, passando pelo teatro kabuki, por hinos guerreiros e por danças de casal/acasalamento. De 5 a 7 de Outubro, Odete C. Ferreira e Bruno Cadinha apresentam a performance DRLNG e no dia 7, entre as 16h30 e as 20h, Daniel Lourenço regressa para mais uma edição do workshop “Representação e Poder: Políticas da Fala, Políticas do Dizível”.

“Uma FRIDA” tem sessões marcadas entre 12 a 14 de Outubro, pelas 21h30 e dia 15 às 19h. A peça é de Hugo Olim, Mariana Magalhães e Sofia Santos Silva e ensaia uma reflexão sobre o discurso amoroso. A 50ª edição do “Old School” chega no dia 21 de Outubro. O espólio do Centro de Documentação de Artes Performativas e Mediateca da Rua das Gaivotas 6 está disponível a quem quiser aparecer entre as 14h e 20h, de segunda a sexta.