No dia 24 de Julho, depois de lançarmos a Revista Gerador #5, pomos o Musicbox Lisboa a dançar, com dois momentos musicais únicos e genuinamente portugueses :) O primeiro deles estará a cargo do Guilherme Órfão, que voa directamente da Madeira para, a partir dos instrumentos que são a base do seu projecto: a braguinha, o rajão e a viola de arame, criar sons completamente novos através da pedaleira, loop station ou dos stompboxes :) (Até aqui, parece fácil?)

Podes esperar um bailinho e logo de seguida um mergulho de cabeça no jazz. Ou uma viola de arame que, fechando os olhos, te vai convencer que  é uma guitarra eléctrica e uma caixa de cigarrilhas que faz a percussão.

Nada é de facto o que parece, entre temas originais, arranjos de várias músicas, loops ou experiências novas, num concerto a solo que não precisa de mais nada para encher o palco.

O Guilherme nasceu na Madeira e começou aos 7 anos a tocar Instrumentos Tradicionais Madeirenses, inicialmente braguinha e depois rajão e viola de arame. Foi com a prática dos cordofones que integrou a Orquestra de Ponteado e o Si que Brade. Mais tarde, com amigos, criou os Metáfora, banda onde é arranjista e compositor. Mais recentemente, novas influências levaram-no a  demonstrar que o fado também podia ser cantado e tocado ao som destes instrumentos. Lançou entretanto o seu projecto a solo e pouco depois um formato com banda suporte.

O Guilherme vive no Porto e tem enquanto compositor, arranjista e intérprete, divulgado os cordofones madeirenses por Portugal Continental. Conta já com cerca de 20 composições, entre peças a solo, duo ou trio.

Não dá para faltar não é? Entretanto podes saber mais sobre o Guilherme Órfão, aqui :)