Mesclado por Corona 

Jorge Martinez – Silêncio

Provavelmente o artista mais underrated de sempre da música portuguesa. De realçar a qualidade de produção deste enorme teledisco de “Silêncio”.

José Cid – Portuguese Boys

Para além do Pai do Rock Português, muitos não sabem, mas José Cid é também o Padrasto do Rap Português, e este tema de 1989 é muito provavelmente o primeiro tema de Rap Português gravado.

Leonel Nunes – Mulher Ingrata

Um clássico de 1987 do grande poeta egitaniense Leonel Nunes. O homem que bebe 5 litros de vinho por concerto (directo do garrafão), mestre no wordplay, um autêntico ícone da música pimba alternativa.

Cebola Mol – Megadeath

Especial atenção para o maravilhoso solo de Gosma que se acentua a partir dos 2.44: perfeitamente audível o som das bolhinhas de cuspe a borbulharem na garganta de Eduardo Madeira.

Amilcar Alho – Sou Camionista

O Rei da k7 Erótica, Camionista de TIR e MET, Amílcar Alho. Que mais se pode dizer?…

Repórter Estrábico – MamaPapa

Formados nos anos 80 e criadores do género “techno pop irónico”, o non-sense corrosivo sempre foi o seu lado mais distinto.

Ena Pá 2000 – Droga

Humor brejeiro e pornográfico, uma longa discografia que fala por si.

Grupo de Baile – Patchouly

Este foi o primeiro vinil single português que ouvi, e em que percebi que havia algo mais “explícito” na música.

Trabalhadores do Comércio – Tá quietinho ou levas no focinho

O “velho” Rock do Porto, anos dourados! “Matei o Chico Fininho…”

Afonsinhos do Condado – RAP do B.A.

A par do “Portuguese Boys” de José Cid, provavelmente este é um dos primeiros “raps” nacionais. Atenção a pormenores na letra como ” tenho uma fotografia da tua tia toda nua / fiz-lhe um buraquinho numa zona preta e não há dia nenhum em que o dedo lá não meta.”