Os MÔNO! lançaram agora o seu primeiro single “Espacial”, do EP “Ribamar”. Estas são as suas 10 escolhas! :) 

Mesclado por MÔNO!

Éme – Lisa

A juventude lisboeta e a vivência citadina perfeitamente ilustradas numa canção.  

Luís Severo – Escola

O Severo no seu melhor. Na nossa opinião, e musicalmente falando, talvez o seu expoente máximo.

Carlos Paredes – Verdes Anos

Porque é um dos fados mais cantados que já se ouviu e nunca precisou de voz. Talvez a canção mais portuguesa de sempre.

Da Weasel – Casa

Rap completamente cru dos Da Weasel + voz do Manel Cruz é uma conta fácil de fazer.

Modernos – Casa a Arder

O caos e o não querer saber. Ao vivo, ainda é melhor.

Capitão Fausto – Os Dias Contados

São os Capitão Fausto transformados numa pequena orquestra. Também vale muito pelo refrão mais niilista de que há memória numa música pop.

Samuel Úria – É preciso que eu diminua:

Toda a fonética dos jogos de palavras preenche qualquer coisa que o instrumental pudesse ter deixado em branco. É uma canção do Samuel Úria, por isso seria estranho não ser boa, mas esta é especial.

B Fachada – Cada Um

Pode não ser o Fachada no seu expoente lírico ou musical. No entanto, aquele teclado em loop hipnotizante em conjunto com as harmonias vocais e a viola braguesa, são uma combinação incrível e que nos faz viajar.

Sam The Kid – Poetas de Karaoke

A exaltação da língua mãe e da honestidade artística. A vontade de querer sempre algo novo, sem importar o que é moda lá fora.

Ornatos Violeta – Punk Moda Funk

É um hino dos anos 90 e o início da imposição dos Ornatos. Seria difícil não andar por aqui.