Rafael Carvalho é a singularidade da viola da sua terra. A viola dos dois corações, a viola irmã da braguesa, a viola dos Açores por excelência. Homem acontecimento, ele é um dos mais talentosos músicos açorianos da actualidade. Professor, diretor musical, produtor cultural, compositor e escritor, ele é o principal porta estandarte vivo do instrumento. Apresentou-se nas 9 ilhas dos Açores, nacional e internacionalmente nas mais variadas formações. “Origens” é o seu primeiro comovente e memorável cartão de visita, a que se seguiu “Paralelo 38”, em 2014, e “Relheiras” em 2017.

Vê aqui os temas nacionais que mais inspiram este autor:

Carlos Paredes – Verdes Anos
Nem uma nota a mais… nem uma nota a menos. O tema perfeito.

Amadeu Magalhães – Rebanho
O melhor do cavaquinho, o som perfeito, a técnica inconfundível e inimitável. O seu CD “O Cavaquinho do Amadeu” é uma verdadeira obra de arte.

Vítor Sardinha – Andaluza Magrebina
A excelência da composição em Viola de Arame. Um dos primeiros músicos a motivar-me para compor e acreditar nas minhas ideias musicais. Este tema, e outros, abriram-me os horizontes em relação à música que poderia vir a fazer.

Tributo – Outros Ventos
Um exemplo de música original, “Made in Azores”, de grande qualidade, que inspira, que ajuda a manter a ideia das nossa sraízes, e que faço questão de ter no carro para ouvir com frequência.

Ronda da Madrugada – Os putos lá do cais
Música feita nos Açores. Ritmos, harmonias e letras de excelência. Referências Regionais e Nacionais de música original com aquele toque “folk”.

Brigada Victor Jara – “Cantiga Bailada”
Toda a discografia da Brigada é uma referência e um exemplo do melhor que se faz em Portugal. Tem sido uma inspiração trabalhar e tocar em público alguns dos seus arranjos.

Trovante – 125 Azul
Uma das músicas e bandas de referência na minha juventude. Sempre gostei da batida do tema. Dou por mim a trautear o refrão com alguma frequência.

Rui Veloso – O Prometido é Devido
O “Pai do Rock Português”. O homem que nos ajudou, com as suas músicas, e ultrapassar as difíceis mágoas da adolescência. Acho que há um pouco de Rui Veloso em toda a malta da minha geração.

Iris – Isolados do mundo
Tendo crescido na Ribeira Quente, presenciando a ascensão da grande “Festa do Chicharro”, um dos maiores Festivais dos Açores, a nossa Banda predilecta, durante muitos e muitos anos, companheira de muitas edições do festival, foram os IRIS. Uma referência há décadas, um espetáculo fenomenal ao vivo.

Sater – Tocando em Frente
Mestre da Viola Caipira. Inspiração de muitos anos, ele e outros. Um tema fantástico composto em parceria com Renato Teixeira. Sons do Brasil. Abertura de mentalidades e realidades musicais para a Viola.

Rafael Carvalho integra a programação do Tremor, experiência musical no centro do Atlântico (São Miguel, Açores) que acontece de 20 a 24 de Março de 2018.