WE SEA é um projeto pop lo-fi que tenta reimaginar a música e a mística dos Açores. Começou pelas mãos de Rui Rofino e Clemente Almeida e, mais tarde, juntaram-se Luís Barbosa, músico do panorama blues açoriano, Dino Barbosa (na bateria) e Pedro Silva. Para os WE SEA “não existem regras e nem obrigações estilísticas. O que sair sai com validade e com razão de ser.”

Mesclado por WE SEA

Cruzeiro – Luís Alberto Bettencourt
A razão é óbvia: sabe a mar.

Chamateia – Luís Alberto Bettencourt/António de Melo Sousa
A Chamateia é um hino aos Açores. Nela sentimos a saudade que surge em virtude de não estarmos no nosso cantinho (Açores), mas ao mesmo tempo sentimos tristeza por nele estarmos ou por nele vivermos. Acima de tudo, creio se tratar de um lindo lembrete que nos diz que esse cantinho existe e está cá para nós.

Espelho d’água – Luís Gil Bettencourt/Zeca Medeiros (Interpretação Susana Coelho)
A fusão entre a canção tradicional e os elementos digitais é simplesmente brilhante e inspiradora. P.s: Susana Coelho, uma voz única que marcou uma época e que perdurará no tempo.

Boi do mar – Luís Alberto Bettencourt/Vítor Rui Dores
As melodias vocais são arrepiantes (no melhor dos sentidos). A melodia está presente em tudo nesta canção, até no mais pequeno ornamento. Das músicas mais bonitas que se pode ouvir! De salientar uma letra muito bonita e adequada à história de um povo.

Cançoneta do forte fraquinho – Zeca Medeiros
Esta canção é como se fosse um filme que desafia as emoções de qualquer um. As palavras e o instrumento são um só… Uma simples e perfeita simbiose. Conseguimos imaginar tudo o que o Zeca Medeiros diz. Lindo!

O primeiro dia – Sérgio Godinho
Conheço esta canção desde sempre, não me lembro de tê-la ouvido por uma primeira vez. Acho que é essa a principal razão. É uma canção fenomenal e é obra de um génio que dispensa apresentações

Um crime à minha porta – Ornatos Violeta

Débil mental – Ornatos Violeta
Ambas porque marcaram uma fase da minha vida e do Clemente. Marcaram uma fase em que eramos mais novitos e tínhamos um projeto de covers em que estas duas faixas eram permanentes no repertório. Os Ornatos foram um projeto muito fora, muitos furos acima. As palavras do Manuel Cruz não são indiferentes a ninguém e são sem sombra de dúvidas uma inspiração para os WE SEA.

Ahhhhh – Bruno Pernadas
Esta é fácil. Trata-se da primeira música que ouvi do Bruno Pernadas e foi amor à primeira. Para mim ele é do melhor que há em Portugal na atualidade e, até ver, a perfeição deste senhor fez um dos concertos da minha vida.

Não há estrelas no céu – Rui Veloso
Esta é especial porque foi a primeira música que ouvi em vinil, tinha eu 12 anos, mais coisa menos coisa. Os meus pais não tinham vinis, pelo menos que eu me lembre. Tínhamos muitas cassetes e mais tarde cds, mas vinis não. Um dia, em casa do meu tio, quebrei as regras e agarrei no disco, coloquei-o no leitor e sobre ele deixei cair a agulha. Não sabia se os procedimentos estavam corretos, mas o que é certo é que foi esta a canção que se fez ecoar. Foi uma canção que cantarolei muito em criança.

Os WE SEA fazem parte da programação do Tremor, experiência musical no centro do Atlântico (São Miguel, Açores) que acontece de 20 a 24 de Março de 2018.