Os Them Flying Monkeys são os autores da Mescla desta semana. A banda – formada por Diogo Sá, Francisco Dias Pereira, Hugo Luzio, João Tomázio e Luís Judícibus – lançou no início de 2017 o primeiro LP “Golden Cap”. Podem ouvir aqui o single “Molly”.

Mesclado por Them Flying Monkeys

As nossas escolhas não se prendem a um determinado género, época ou a uma determina língua cantada. Funcionam, antes, como influências do nosso projeto ou apenas como experiências pessoais de cada um de nós. Algumas dessas experiências corresponderam a músicas que descobrimos ao vivo. “Villa Soledade” dos Sensible Soccers ou “Pirraças Pueris” de Pãodemónio (OUVE AQUI) foram algumas faixas descobertas por passagens em festivais, como os Bons Sons e o Indie Music Fest, e que nos fizeram querer ir ouvir mais para casa. Não acompanhando uma timeline específica, recordamos o disco “Por Este Rio Acima” de Fausto Bordalo Dias, sendo esta a faixa que dá nome ao seu disco. Tão importante agora como foi há 30 anos. Seguem-se temas como “Sweet Little Mary” dos Sean Riley & Slowriders e “E se a Bela fosse um Monstro” dos Riding Pânico, que foram bastante importantes para o panorama da música portuguesa há dez anos. Panorama esse que rejuvenesceu um pouco com “By the Sea” dos Keep Razors Sharp e o seu primeiro álbum. Novas sonoridades vão aparecendo, como “Coffee and Toast” de Tomara. Também a vontade de arriscar se faz notar no “rock fado” do tema “Fado da Estrela D’Ouro” das Pega Monstro (OUVE AQUI). Um pouco mais a par com o panorama musical português surgem músicas como “Garden Exit” dos Cave Story e “Good Boys” dos Stone Dead (OUVE AQUI) que nascem com uma certa irreverência já há muito esperada.