A programação da 11ª edição do MOTELX – Festival Internacional de Cinema de Terror de Lisboa, que decorre entre 5 e 10 de Setembro, já está disponível. A sessão de abertura no dia 5 de Setembro traz “Super Dark Times”, do americano Kevin Phillips, que retrata a passagem traumática da adolescência à idade adulta e que tem atraído comparações com “Stand by Me” e “Donnie Darko”. O encerramento do Festival a 10 de Setembro faz-se com “IT”, adaptação do best-seller de Stephen King por Andy Muschietti que já fez história como o filme com o trailer mais visto de sempre no dia de lançamento (197 milhões de visualizações) e que marca o regresso de Pennywise, o palhaço maléfico dos nossos pesadelos.

Durante os seis dias de festival será possível assistir a filmes de Roger Corman e Alejandro Jodorowsky, que são os convidados deste ano do MOTELX. O “Culto dos Mestres Vivos” começa no dia 6 com uma masterclass e uma sessão de autógrafos de Corman, seguidas da exbição de “X: The Man With the X-Ray Eyes”. No dia seguinte passa “The Masque of the Red Death”.

A masterclass e a sessão de autógrafos de Jodorowsky estão marcadas para dia 9 e antecedem a exibição de “Santa Sangre”. Para dia 10 está reservado “El Topo”, filme místico de pistoleiros, sangue e carnificina com que o psico-mago chileno se tornou pioneiro das sessões da meia-noite e que aqui se exibe numa cópia única de 35mm.

Destaque também para os 8 filmes em competição pelo Prémio MOTELX – Melhor Longa de Terror Europeia/Méliès d’Argent, todos em estreia nacional. São eles “Animals”, de Greg Zglinski (Suíça/Áustria/Polónia); “Cold Hell”, de Stefan Ruzowitzky (Alemanha/Áustria); “Kaleidoscope”, de Rupert Jones (Reino Unido); “Lake Bodom”, de Taneli Mustonen (Finlândia/Estónia); “The Limehouse Golem”, de Juan Carlos Medina (Reino Unido); “The Night Of The Virgin”, de Roberto San Sebastián (Espanha); “Prey”, de Dick Maas (Holanda); e “Rift”, de Erlingur Óttar Thoroddsen (Islândia). De recordar ainda a outra secção competitiva do Festival, o Prémio MOTELX – Melhor Curta de Terror Portuguesa/Méliès d’Argent, cujos 9 finalistas foram anunciados em Julho.

Na secção de Documentário, Doc Terror, serão apresentados “78/52” e “King Cohen”. Alexandre O. Philippe desconstrói as 78 posições de câmara e 52 planos da mítica cena do chuveiro de “Psycho”, enquanto Steve Mitchell conta a história do argumentista, produtor, realizador e rebelde Larry Cohen.

Dos 33 filmes da secção Serviço de Quarto, que mostra fora de competição os melhores filmes de terror dos últimos 2 anos, destaca-se o terror psicológico do filipino “Bliss” de Jerrold Tarog,“Lowlife” de Ryan Prows e “Train to Busan”, filme de zombies que se tornou um fenómeno de bilheteira na Coreia do Sul do realizador Yeon Sang-ho . Mas há muitos outros a descobrir, como os já anunciados “The Bar”, do espanhol Álex de la Iglesia, e “The Untamed”, do mexicano Amat Escalante, ambos parte da programação associada a Lisboa, Capital Ibero-americana de Cultura que atravessa o Festival.

Nos eventos paralelos do MOTELX, as novidades vão para uma leitura ao vivo do guião da longa-metragem “Linhas de Sangue” de Manuel Pureza, a apresentação do livro de Kier-La Janisse sobre Jean Rollin e uma sessão VHS com o bizarro filme de culto low-budget “Nasty Hunter”. Na secção infanto-juvenil Lobo Mau, anuncia-se ainda uma conversa com o Prof. Eduardo Sá depois da exibição do filme “O Livro da Vida”.

A programação completa da 11.ª edição do MOTELX está disponível em aqui.