Hoje, nos Sentidos da Música, a Ana Isabel Fernandes teve à conversa com o Éme, músico da Cafetra.

Qual é ou quais são as músicas que fazem o teu corpo mexer?

hahaha, o meu corpo não é um corpo que mexa por dá cá uma palha…
Nem há grandes músicas que me façam mexer o corpo, é mais as minhas em concerto

E aquelas que te conduzem a um estado de espírito imediato?

Há ,assim, algumas que me fazem logo triste. Uma da elas é Bill Fay – My eyes open

Já te aconteceu pensares numa imagem, num ambiente específico ou espaços enquanto compões?

Já! na “Tédio”, o ‘Valbom’ é um café mesmo e tem um ambiente específico e uma imagem.Basicamente, tenho sempre uma imagem de um lugar na cabeça, quando componho.

Se pudesses desenhar e pintar a tua música, como seria e que cores teria?

Não sei, não tenho a mínima sensibilidade para artes visuais.

Como é que imaginarias o sabor da música mais especial para ti? Doce, amargo, salgado como o mar, agridoce?

Sou vegetariano e talvez soubesse a carne, por isso prefiro nem pensar nisso.

Pensa no cheiro mais importante para ti, aquele que ficou na tua memória. Que música lhe associarias?

Não lhe associo nenhuma música, mas lembro-me de cheirar os adultos que fumavam, quando era puto, e adorava esse cheiro. Talvez agora associe a minha música.

Achas que a música pode ser um bom veículo para fixar e guardar memórias?

Como ouvinte, talvez. Como músico, não. A música guarda, para mim, memórias de si própria.

Ilustração da Mariana Pita

Entervista por Ana Isabel Fernandes