[fusion_text]A Rádio Gerador é a voz do Gerador. Todos os meses, na última noite do mês, emitimos um programa de rádio, resultado de uma conversa à mesa com convidados de honra. Na edição deste mês conversámos com Ben Monteiro, músico e produtor dos D’Alva, com a fadista Kátia Guerreiro, a cantora e compositora Joana Alegre e a Catarina Munhá, música e médica. No final, como sempre, deixamos-te o nono capítulo do romance colectivo Modernista Tradicionalista, com texto de Ricardo Neves-Neves e interpretação da actriz Adriana Moniz.[/fusion_text][separator style_type=”none” top_margin=”” bottom_margin=”” sep_color=”” border_size=”” icon=”” icon_circle=”” icon_circle_color=”” width=”” alignment=”” class=”” id=””][separator style_type=”none” top_margin=”” bottom_margin=”” sep_color=”” border_size=”” icon=”” icon_circle=”” icon_circle_color=”” width=”” alignment=”” class=”” id=””][separator style_type=”none” top_margin=”” bottom_margin=”” sep_color=”” border_size=”” icon=”” icon_circle=”” icon_circle_color=”” width=”” alignment=”” class=”” id=””][imageframe lightbox=”no” gallery_id=”” lightbox_image=”” style_type=”none” hover_type=”none” bordercolor=”” bordersize=”0px” borderradius=”0″ stylecolor=”” align=”none” link=”” linktarget=”_self” animation_type=”0″ animation_direction=”down” animation_speed=”0.1″ animation_offset=”” hide_on_mobile=”no” class=”” id=””] [/imageframe][separator style_type=”none” top_margin=”” bottom_margin=”” sep_color=”” border_size=”” icon=”” icon_circle=”” icon_circle_color=”” width=”” alignment=”” class=”” id=””][separator style_type=”none” top_margin=”” bottom_margin=”” sep_color=”” border_size=”” icon=”” icon_circle=”” icon_circle_color=”” width=”” alignment=”” class=”” id=””][fusion_text]

“As minhas canções favoritas são sempre uma espécie de uma viagem.”

“Há canções que temos escritas e que ainda não lançámos porque sentimos que não é a altura.”

Ben Monteiro, músico e produtor dos D’Alva[/fusion_text][separator style_type=”none” top_margin=”” bottom_margin=”” sep_color=”” border_size=”” icon=”” icon_circle=”” icon_circle_color=”” width=”” alignment=”” class=”” id=””][imageframe lightbox=”no” gallery_id=”” lightbox_image=”” style_type=”none” hover_type=”none” bordercolor=”” bordersize=”0px” borderradius=”0″ stylecolor=”” align=”none” link=”” linktarget=”_self” animation_type=”0″ animation_direction=”down” animation_speed=”0.1″ animation_offset=”” hide_on_mobile=”no” class=”” id=””] [/imageframe][separator style_type=”none” top_margin=”” bottom_margin=”” sep_color=”” border_size=”” icon=”” icon_circle=”” icon_circle_color=”” width=”” alignment=”” class=”” id=””][separator style_type=”none” top_margin=”” bottom_margin=”” sep_color=”” border_size=”” icon=”” icon_circle=”” icon_circle_color=”” width=”” alignment=”” class=”” id=””][fusion_text]

“Eu sinto coisas diferentes todos os dias e as histórias que eu canto remetem-me sempre para coisas muito especiais.”

“As minhas viagens interiores vão tendo intensidades diferentes em momentos diferentes da mesma canção. A minha interpretação varia cada vez que eu a canto.”

“Eu ouvia fado sozinha, não porque tivesse vergonha, mas porque mais ninguém ouvia.”

Katia Guerreiro, fadista[/fusion_text][separator style_type=”none” top_margin=”” bottom_margin=”” sep_color=”” border_size=”” icon=”” icon_circle=”” icon_circle_color=”” width=”” alignment=”” class=”” id=””][imageframe lightbox=”no” gallery_id=”” lightbox_image=”” style_type=”none” hover_type=”none” bordercolor=”” bordersize=”0px” borderradius=”0″ stylecolor=”” align=”none” link=”” linktarget=”_self” animation_type=”0″ animation_direction=”down” animation_speed=”0.1″ animation_offset=”” hide_on_mobile=”no” class=”” id=””] [/imageframe][separator style_type=”none” top_margin=”” bottom_margin=”” sep_color=”” border_size=”” icon=”” icon_circle=”” icon_circle_color=”” width=”” alignment=”” class=”” id=””][separator style_type=”none” top_margin=”” bottom_margin=”” sep_color=”” border_size=”” icon=”” icon_circle=”” icon_circle_color=”” width=”” alignment=”” class=”” id=””][fusion_text]

“A necessidade e autenticidade são as coisas que marcam a reacção de um ouvinte.”

“O processo criativo tem de ser verdadeiro. Se tu escreves uma letra, se tu compões uma melodia, o processo tem de ser pessoal e verdadeiro. Tem que expressar verdadeiramente qualquer coisa. Não pode ser feito a pensar num qualquer fim comercial.”

“Um disco é como se fosse parte de ti, mas depois deixa de ser. É como quem tem um filho, depois ficas com aquela responsabilidade. É como se deixasse de ser teu mas fosse, ao mesmo tempo, intricadamente uma responsabilidade tua.”

Joana Alegre, cantora e compositora[/fusion_text][separator style_type=”none” top_margin=”” bottom_margin=”” sep_color=”” border_size=”” icon=”” icon_circle=”” icon_circle_color=”” width=”” alignment=”” class=”” id=””][imageframe lightbox=”no” gallery_id=”” lightbox_image=”” style_type=”none” hover_type=”none” bordercolor=”” bordersize=”0px” borderradius=”0″ stylecolor=”” align=”none” link=”” linktarget=”_self” animation_type=”0″ animation_direction=”down” animation_speed=”0.1″ animation_offset=”” hide_on_mobile=”no” class=”” id=””] [/imageframe][separator style_type=”none” top_margin=”” bottom_margin=”” sep_color=”” border_size=”” icon=”” icon_circle=”” icon_circle_color=”” width=”” alignment=”” class=”” id=””][separator style_type=”none” top_margin=”” bottom_margin=”” sep_color=”” border_size=”” icon=”” icon_circle=”” icon_circle_color=”” width=”” alignment=”” class=”” id=””][fusion_text]

“Escolher músicas favoritas é como escolher filhos favoritos. É difícil.”

“O que faz uma boa canção é a capacidade de ligação. Que pode vir tanto de uma pessoa provocar uma espécie de sentimento, ou pode ser porque gera vontade de dançar.”

“As canções começaram comigo e com o ukulele e houve uma preocupação de não esconder isso atrás de música que não me pertence, mas incluir-me muito na parte dos arranjos e fazer com que isso sobressaia.”

Catarina Munhá, música e médica[/fusion_text][separator style_type=”none” top_margin=”” bottom_margin=”” sep_color=”” border_size=”” icon=”” icon_circle=”” icon_circle_color=”” width=”” alignment=”” class=”” id=””][fusion_text]

Convidados desta conversa:

Ben Monteiro, músico e produtor dos D’Alva

Kátia Guerreiro, fadista

Joana Alegre, cantora e compositora

Catarina Munhá, música e médica

Locutor – Pedro Saavedra

Captação de Som – Jorge Cabanelas

Sonoplastia – Rui Miguel/Dizplay

Fotografia – Andreia Mayer

Nono Capítulo do Modernista Tradicionalista

Texto de Ricardo Neves-Neves

Interpretação de Adriana Moniz

Captação de som e sonoplastia – Telmo Gomes

Co-produção – ZOV e Gerador

[/fusion_text]