Rui Carvalho é oriundo dos subúrbios de Sintra, de Queluz. É formado em Arqueologia pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Especializa-se em Paleolítico e frequenta uma Pós-Graduação em Geoarquelogia na Faculdade de Ciências de Lisboa, durante, perde-se na e para a música, que começou cedo com a guitarra do Pai (Membro efémero de Filarmónica Fraude).

As primeiras incursões com mais visibilidade nos palcos são com os If Lucy Fell, banda de noise pós-hardcore com tendências para a matemática desajeitada. Mais tarde, põe em prática, relutantemente, a guitarra a solo com Filho da Mãe e dedica-se, num salto, a isso exclusivamente. Estreou-se com “Palácio” (Rastilho Records- 2012) e seguiu-se um EP de sete polegadas a meias com Linda Martini. Em 2013 sai o segundo disco, “Cabeça” pela Cultura Fnac e Lovers & Lollypops.

Entretanto colaborou ao vivo com músicos de Linda Martini, PAUS, com JIBÓIA, Norberto Lobo, Tó Trips e mais recentemente, num disco - “Tormenta”- a sair pela Revolv em 2016, com Ricardo Martins na bateria. Em 2016 ainda houve tempo para lançar “Mergulho” a solo, novamente com o apoio da Cultura Fnac e através da Lovers&Lollypops.

Em 2018 volta aos lançamentos com ÁGUA-MÁ, depois de uma residência improvisada no Funchal, em que juntou à desorientação geográfica, própria das bússolas partidas, alguma poncha.

filhodamae.bandcamp.com/

facebook.com/umfilhodamae/

Fotografia por Vera Marmelo