No dia 18 de fevereiro deste ano a Escola Artística António Arroio, em Lisboa, encerrou devido a um problema elétrico. A 1 de março foi publicado em Diário da República o concurso público para a conclusão das obras de modernização da escola, com o valor base de 4,3 milhões de euros. 

As obras de requalificação na Escola António Arroio, da responsabilidade do programa de modernização das escolas secundárias da empresa Parque Escolar, foram interrompidas em 2009. A interrupção deixou os alunos sem cantina, biblioteca, auditório e outras valências, o que resultou em protestos como o que aconteceu em novembro de 2018, no qual os estudantes comeram no chão em frente à Assembleia da República. 

Em meados de fevereiro Tiago Brandão Rodrigues, o ministro da educação, tinha anunciado para breve a publicação do concurso público da escola artística, “agora com um valor reforçado”. O Concurso Público Nacional para a Conclusão da Empreitada de Execução das obras de Modernização da Escola Artística António Arroio prevê um prazo de execução do contrato de 14 meses. O critério de adjudicação terá em conta a melhor relação entre a qualidade e o preço, com um fator de ponderação de 50% para cada.

Só há duas escolas secundárias artísticas em Portugal e a António Arroio é uma delas

A Escola Artística António Arroio foi fundada em 1919, enquanto Escola de Arte Aplicada de Lisboa, dirigida  estudantes que quisessem dedicar-se à arte industrial. Foi no ano de 1934 que a escola mudou de nome para Escola Industrial António Arroio e no ano de 1948 para Escola de Artes Decorativas António Arroio.

Depois da revolução de abril adoptou o nome Escola Secundária António Arroio e apenas em 1993 começou a chamar-se Escola Artística António Arroios, contando com oito cursos disponíveis, dois gerais e seis de especialização em diferentes vertentes — comunicação gráfica, comunicação audiovisual, ourivesaria e metais, cerâmica, têxtil e equipamento.

Em 2004 foi feita uma revisão curricular e passou a ter quatro cursos — produção artística, comunicação audiovisual, design de comunicação e design de produto —, os mesmos da Escola Artística de Soares dos Reis. 

Entre os alunos mais célebres da Escola Artística António Arroio estão Júlio Pomar, Armando Baptista-Bastos, Cruzeiro Seixas, Mário Cesariny, Margarida Cardoso, Ilda reis e Joana Vasconcelos. 

 

As propostas podem ser entregues até às 17h00 do 30º dia a contar da data de envio do anúncio para a publicação, que ocorreu a 28 de fevereiro. 

Sabe mais sobre a Escola Artística António Arroio, aqui

Texto de Carolina Franco e Lusa
Fotografia de AE António Arroio disponível via Facebook

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.