Uma metodologia para ajudar curadores, produtores e outros profissionais da cultura a reduzir o impacto ambiental das exposições temporárias de hoje em dia.

O principal objetivo do curso é o de desafiar as condições em que a arte contemporânea opera atualmente, relativamente à crise ambiental. Esta formação procura equipar profissionais para que optem por práticas curatoriais mais sustentáveis, tornando-se também curadores de uma arte contemporânea consciente do seu impacto ambiental. 

Este curso é para quem deseja seguir uma carreira como curador, produtor de exposições ou outros cargos relacionados com a área, bem como para curadores e profissionais das artes com o desejo de pesquisar e desenvolver uma prática curatorial sustentável e ecologicamente consciente. 

No final do curso, os participantes serão capazes de compreender os desafios ambientais associados à realização de exposições, saberão como medir esses impactos e como reduzi-los.

Quais são os objetivos deste curso?

  • Compreender os desafios ambientais associados à realização de exposições
  • Saber como medir os impactos associados a estas práticas e aprender a reduzi-los
  • Conhecer uma metodologia estruturada e aplicável à prática que ajuda a fazer face a estes desafios
  • Aprender a planear, organizar e produzir exposições ambientalmente sustentáveis

Quem é a formadora?

Alice Bonnot é curadora independente e fundadora do programa de residências artísticas sustentáveis VILLA VILLA, em Portugal. Atualmente, o seu foco está no desenvolvimento de práticas curatoriais e artísticas ambientalmente sustentáveis com uma orientação para soluções ecológicas. Escreve, enquanto colaboradora regular, para a Revista Umbigo, e trabalha como consultora para apoiar instituições culturais a abraçar os desafios e oportunidades associados à adoção de métodos de trabalho sustentáveis.

Qual é o programa das aulas?

Aula 1 |  Introdução à crise ambiental e apresentação geral da metodologia
O curso começa com uma breve contextualização da crise ambiental. O foco está nos impactos já observados e nos efeitos previstos, com base em relatórios científicos. Alguns exemplos da abordagem de instituições de arte já existentes em relação ao tratamento do clima e da emergência ecológica também serão apresentados. 

Será feita uma apresentação à metodologia de quatro etapas que irá ser aprofundada ao longo do curso, e que foi criada para enquadrar os desafios ambientais associados à curadoria, medir os seus impactos e saber como reduzi-los. Será também feita uma introdução às soluções para alcançar a menor pegada de carbono, de acordo com cada etapa necessária para a criação de exposições de arte contemporânea. Estas etapas, que serão aprofundadas nas seguintes sessões, incluem: desenvolvimento de conceito, seleção de artista(s) e local de exibição, produção, comunicação e promoção, viagem, envio de peças e itinerância das exposições, instalação, inauguração e follow-up.

Aula 2 | Aprofundamento da metodologia (parte I)
Explicação detalhada sobre como alcançar a menor pegada de carbono durante as seguintes etapas: criação de conceito, seleção de artista(s), escolha do local para a exposição, produção.

Aula 3 | Aprofundamento da metodologia (parte II)
Explicação detalhada sobre como alcançar a menor pegada de carbono durante as seguintes etapas: comunicação e promoção; viagens, envio de peças e itinerância da exposição; instalação; inauguração e follow-up.

Quando acontece? 

9, 10, 11 de agosto. Das 18h30 às 21h30.

Como funciona o curso?

Este curso tem a duração de 9 horas repartidas em 3 dias de aulas. Esta formação é realizada por videoconferência, online. Vais receber um link através do qual consegues aceder à formação em tempo real. As aulas ficam gravadas para consulta, a pedido do aluno, durante o período do curso.

Como posso participar?

Para teres acesso à experiência completa, adquire aqui o teu pacote Academia de Verão.

Se preferires frequentar apenas este curso, clica aqui.


Se tiveres dúvidas envia-nos um e-mail.

Este curso é uma parceria entre a Academia Gerador e o projeto villa villa.
Imagem:  Invasive Passengers, de Ouazzani Carrier, 2019 Termos, infusões, textos, tijolos, plantas

sustentabilidade-exposicoes-gerador