rita maria

Gargantas soltas 10.Out.2020

Autumn in NY

Sinto-me presa entre mundos. O real e o digital. Tive o meu primeiro computador portátil aos 22 anos, imagine-se! Até para a altura eu já ia atrasada, na faculdade fazia-me…

Gargantas soltas 12.Set.2020

I'm Old Fashioned

Decidi mudar de ares. Achei que mal não me faria...no meio de tanta incerteza, que é possivelmente o único status garantido para qualquer artista residente em Portugal. Diz o ditado…

Gargantas soltas 15.Ago.2020

Da simplicidade

O Poder de síntese. Qual é a tua cor favorita? Não sei. Sempre tive uma dificuldade enorme em fazer escolhas. Se escolho o azul, excluo todas as outras cores e…

Gargantas soltas 18.Jul.2020

O mundo deu-me Fado

Nas artes performativas, o campo das relações profissionais, particularmente o das parcerias, é facilmente confundível com o das relações pessoais.  Sempre tive uma dificuldade extrema em destrinçar quem é amigo…

Gargantas soltas 4.Jul.2020

Viagem: a máquina de sonhos

Desde pequena que brinco aos “sonhos”. Costumava achar que tinha a capacidade de escolher com o que iria sonhar, era como se tivesse uma espécie de projetor de imagens interno…

Gargantas soltas 20.Jun.2020

Uma boa canção jamais envelhece

Neste momento particularmente cibernético, acelerado pela pandemia, decidi, ainda que cepticamente, dar aulas de canto online. A resistência deve-se, em certa medida, a sempre ter sido uma fiel adepta das…

Gargantas soltas 6.Jun.2020

“Os livros que matam árvores”

Uma vida no campo, à semelhança de H. D. Thoreau, foi aquilo que me presenteou esta época de confinamento. Saí de Lisboa afogueada, sem saber bem o que levar e…

{"cart_token":"","hash":"","cart_data":""}
X
X