O filme "A Fábrica", dos albicastrenses Diogo Barbosa e Alexandre Pinto Lobo, vai representar Portugal, no 48 Hour Film Project de Cannes, que decorre de 18 a 22 de maio, foi anunciado no dia 9 de março.

O filme "A Fábrica" realizado por Diogo Barbosa, com produção de Alexandre Pinto Lobo, ganhou o prémio internacional de melhor uso do género no Filmapalooza 2020, em Roterdão (Holanda), e conquistou um lugar na seleção oficial do 48 Hour Film Project de Cannes, que decorre de 18 a 22 de maio.

"A competição [Filmapalooza] contou com os 142 melhores filmes de 48 Hour Film Project de todo o mundo. O filme "A Fábrica" conquistou o prémio de melhor uso do género e um lugar na seleção oficial para Cannes. É a primeira vez que Portugal vai estar presente em Cannes", explicou à agência Lusa Alexandre Pinto Lobo, aludindo a este 'Short Film Corner'.

O 48 Hour Film Project é a maior competição de curtas metragens do mundo com presença em mais de 130 cidades.

Está em Portugal desde 2009 e já foram produzidos mais de 250 filmes em 48 horas em Castelo Branco e em Lisboa.

Os melhores filmes de cada ano são premiados e alguns são selecionados para estar no 'Short Film Corner' durante o festival de Cannes, numa sessão exclusiva do 48 Hour Film Project.

O filme "A Fábrica" venceu o 48 Hour Film Project 2019, realizado em Castelo Branco, e representou a cidade albicastrense na grande final do Filmapalooza 2020, em Roterdão, que terminou no domingo e onde foram anunciados os filmes selecionados para Cannes.

A curta metragem dos albicastrenses Diogo Barbosa e Alexandre Pinto Lobo já foi finalista no Independent Shorts Awards Hollywood, e está nomeada para a melhor curta-metragem de ficção nos Prémios Sophia, da Academia Portuguesa de Cinema.

Ainda que grande parte dos eventos culturais esteja a ser cancelada pelo mundo fora, o festival de Cannes ainda não se pronunciou sobre um possível adiamento da sua edição de 2020. A conferência de imprensa, que tem como finalidade dar a conhecer a programação, continua marcada para o dia 16 de abril.

“Mantemo-nos razoavelmente optimistas, na esperança de que se atinja o pico da epidemia no final de Março e de que respiremos um pouco melhor em abril”, disse ao jornal francês Le Figaro Pierre Lescure, o presidente do festival, citado pelo Público neste artigo.

Sabe mais sobre a parceria do 48 Hour Film Project com o festival de Cannes, aqui.

Texto de Lusa e Carolina Franco
Fotografia de Adrien Olichon disponível via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.