O Festival Internacional de Curtas Metragens de Évora está a realizar uma documentário cinematográfico sobre o rio, o património natural e cultural do território, a partir dos conhecimentos dos idosos do concelho do Alandroal e das aldeias ribeirinhas.

Realizado no âmbito do Projeto Intermunicipal de Inclusão pela Cultura, promovido pela CIMAC, com o apoio da Câmara Municipal do Alandroal, este projeto pretende "mobilizar e valorizar o conhecimento dos idosos e as suas vivências com o rio  Guadiana no passado e proporcionar-lhes oportunidades de revisitação de manifestações culturais, através do registo no cinema documental, e de estabelecer o diálogo intergeracional com o público em geral pelo meio da ação, neste caso a realização de um filme documentário onde se reúnem as histórias e saberes dos idosos", pode ler-se na descrição do projeto do FINKE, um festival de cinema que promove a mostra de curtas metragens, a exibição regular de cinema e apoia a produção de cinema no Alentejo.

O objetivo do filme O Rio Guadiana - título ainda provisório - é "promover  a  inclusão  dos  idosos  pelas  conversas  sobre o rio numa importante  partilha  de conhecimento tradicional local  e  artístico, num  processo de mediação para  a inclusão pela cultura em que os idosos são participantes ativos enquanto público e protagonistas  na  produção do conhecimento deste território."

Com uma duração de 18 de meses, a iniciativa encontra-se na fase de recolha de imagens e fotografias e de entrevistas junto da população das freguesias de maior proximidade ao rio (sabe como participar, aqui). No final do projeto, o filme será exibido em sessões de cinema junto da população. A realização de imagens deverá acontecer em 2021.

Texto por Flávia Brito
Fotografia de Mabel via Pexels

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.
FIKE prepara filme sobre o Rio Guadiana através das memórias da população