O Palácio Vila Flor, espaço expositivo do Centro Cultural Vila Flor, em Guimarães, inaugura uma exposição, até dia 6 de março de 2021, com obras de todos os artistas que tiveram o seu trabalho exposto nos últimos 15 anos.

A exibição terá trabalhos de coleções permanentes, antigas e recentes, que como refere a organização, com foco nas artes plásticas e visuais de origem artística nacional, “não se esgota” e projeta-se para “um novo modo de nos encontrarmos com o passado”.

Esse encontro é realizado, também, com a presença dos variados artistas na curadoria das obras distribuídas pelos dois pisos.

Alexandre Estrela, Adelina Lopes, André Cepeda, André Príncipe, António Júlio Duarte, António Olaio, Arlindo Silva, Daniel Blaufuks, Gabriela Albergaria, Gabriel Abrantes, Fernando Calhau, Fernando Brito, Hugo Canoilas, João Queiroz, José Almeida Pereira, José Loureiro e Manuel Caeiro são alguns dos nomes que marcam presença.  

“A maneira mais expedita de compreender O Palácio é assumir que nunca houve um plano, nem uma carta de intenções; alguns dos momentos mais relevantes, embora a sua seleção seja sempre discutível, representam pontos sensíveis de referência que orientam o observador para uma descoberta pessoal e interior”, incorpora o programador de artes visuais, Ivo Martins.

Igualmente, Paulo Mendes, Patrícia Almeida, Pedro Cabral Santo, Pedro Portugal, Pedro Sousa Vieira, Pedro Tudela, Sonoscopia, O Bergado, Salão Olímpico com Carla Filipe, Isabel Ribeiro, Renato Ferrão e Eduardo Matos, e Guimarães integram a mostra coletiva.

A entrada na exposição pode ser realizada de terça a sexta, das 10h00 às 13h00 e das 15h00 às 19h00, e ao sábado, das 10h00 às 12h30, pelo custo de dois euros ou um euro, com desconto. Nos dias 19 de dezembro (10h30) e 27 de fevereiro de 2021 (16h00) decorrerão visitas guiadas com duração de 60 minutos e limitadas a um máximo de sete participantes, mediante inscrição prévia, através do email mediacaocultural@aoficina.pt ou do telefone 253 424 716.

Texto de Filipa Bossuet
Fotografia da cortesia d' A OFICINA

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.