A Joana Gama é uma pianista que se desdobra em múltiplos projetos, quer a solo, quer em colaborações nas áreas do cinema, da dança, do teatro, da fotografia e da música.
Nos primeiros meses de 2018 fez uma interpretação ininterrupta da peça Vexations de Erik Satie durante 14 horas na Fundação Calouste Gulbenkian, no âmbito do Festival Pianomania!;​ tocou a solo no Panteão Nacional no âmbito do Festival Rescaldo​; e​ lançou, pela Room40, o disco at the still point of the turning world para piano, electrónica e ensemble, um projeto ​com autoria partilhada com Luís Fernandes.

Esta semana, fez-nos uma seleção de músicas e de músicos que admira e que a inspiram. Aqui está ela :-)

Joana Sá – Variações pindéricas sobre a insensatez
Ornatos Violeta – Chaga
João Paulo Esteves da Silva – ​À mesa
Bernardo Sassetti Trio – Reflexos_Movimento Circular
Señoritas – Acho que é meu dever não gostar
Ana Deus e Nico Tricot – Mortal
Slow is possible – ​Barely visible
Lula Pena -​ O negro que sou​ ​
Sérgio Godinho / ​David Fonseca – ​Grão da mesma mó
Danças Ocultas – ​Tarab

 

 

Fotografia por Nuno Sampaio / Revista Rua