Forçado a deslocar-se no calendário anual, a 28ª edição do Curtas Vila do Conde regressa, à própria cidade, entre os dias 3 e 11 de outubro. No total serão exibidos 261 filmes nas várias secções do festival.

Através de um novo formato, adaptado à nova realidade e hábitos de consumo, o evento decorrerá, tal como nos anos anteriores, no Teatro Municipal, no Auditório Municipal e na Solar, Galeria de Arte Cinemática. Ainda assim, pela primeira vez na história o evento ocorrerá, em simultâneo, em mais três cidades portuguesas: Porto, Lisboa e Faro.

Na cidade invicta terá lugar no Cinema Trindade, de 5 a 9 de outubro, na cidade capital, no Cinema Ideal, de 7 a 11 de outubro, e na cidade algarvia, no Auditório do Instituto Português do Desporto e Juventude, de 6 a 10 de outubro.

O Festival de Curtas integrará uma seleção de 17 obras nacionais de animação, ficção e documentário. Sandro Aguilar, Cláudia Varejão, Carlos Conceição, Pedro Peralta, Patrick Mendes, João Rosas, Filipa César, Alexandra Ramires, Natália Azevedo Andrade, Denise Fernandes, Diogo Salgado, Luís Costa, Igor Dimitri, Nuno Baltazar, Catarina Romano, Inês Nunes e Eduardo Brito são os realizadores selecionados.

Fotografia da cortesia da organização

 No ano em que se assinalam os 20 anos da Agência da Curta Metragem, o festival integrará ainda o lançamento de um livro que traça um olhar pelas últimas duas décadas do cinema português: “Reframing Portuguese Cinema in the 21st Century“, através dos  contributos de uma dezena de programadores e críticos do cinema.

Também com programação inteiramente nacional, a secção Stereo levará a palco o mais recente projeto de Paulo Furtado, The Legendary Tigerman, e Pedro Maia. Guanche foi rodado entre as montanhas da ilha da Madeira e o Oceano Atlântico e propõe um trabalho em torno do homem, do desenvolvimento e da sua relação com a natureza.

Fotografia da cortesia da organização

Em estreia a norte, a secção dedicada aos cruzamentos entre a música e o cinema, incluirá ainda os filmes “Antena3 Docs Apresenta Implantação da Rapública #2 Pintar o Hip Hop” e “A Vida Dura Muito Pouco”.

Em destaque nesta secção surge a estreia nacional de Casa de Antiguidades, de João Paulo Miranda, selecionado para a competição de Cannes 2020, que toca temas relacionados com a exclusão racial no sul do Brasil. Do autor, o festival passará ainda: “Command Action” (2015), “A Moça que Dançou com o Diabo” (2016) e “Meninas Formicida” (2017).

Destaque ainda para a estreia nacional de “First Cow”, de Kelly Reichardt, e as antestreias de “Os Herdeiros de Saramago”.

Nas já habituais secções Panorama, o Curtas olhará a produção recente da Roménia e Polónia, assim como passará algumas das obras portuguesas que marcaram os últimos doze meses como “A Dança do Cipreste”, de Mariana Caló, Francisco Queimadela, Meine Liebe, de Clara Jost, Mesa, de João Fazenda, Portugal e “O Cordeiro de Deus”, de David Vicente Pinheiro, são os filmes escolhidos.

A produção nacional será encerrada com uma nota sobre a competição “Take One!”, um espaço dedicado a olhar o futuro, composto por filmes produzidos nas escolas de cinema.

Como tem vindo a ser hábito, o festival propõe ainda uma programação especial dedicada aos mais novos. Apostando no reencontro das famílias com o cinema, “o Curtinhas” organizará sessões que percorrem os universos e interesses de diferentes idades. A terem lugar no Teatro Municipal de Vila do Conde, haverá sessões para maiores de 3, maiores de 6 e maiores de 10.

Fotografia da cortesia da organização

Outra das grandes novidades deste ano prende-se com a aposta do festival no online. Através do formato VoD,Video on Demand, a organização pretende criar um encontro mais forte entre o público e os cineastas. Previstas estão a calendarização de sessões de filmes, numa parceria com a Shift72, assim como a realização de debates, entrevistas e masterclasses.

Recorde-se que anteriormente estavam já anunciados focos na obra do espanhol Isaki Lacuesta e nas realizadoras Ana Maria Gomes, Elena López Riera e Ana Elena Tejera; a competição internacional e experimental com estreia de filmes de Sergei Loznitsa, Jafar Panahi, Guy Maddin e Nicolas Pereda, entre outros; e o programa do Cinema Revisitado, este ano com novos olhares sobre a produção de Jean-Luc Godard, a celebração dos cem anos de One Week, de Buster Keaton, uma carta branca ao cineasta Frank Beauvais e a estreia da cópia restaurada de O Recado, primeira longa metragem de José Fonseca e Costa.

Consulta aqui a programação na íntegra.

O Gerador é parceiro do Curtas Vila do Conde
Texto de Isabel Marques
Fotografia da cortesia da organização

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.