O Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, CineEco, está de regresso à cidade de Seia. A 26ª edição terá lugar na Casa Municipal da Cultura, de 10 a 17 de outubro. Em competição estarão 77 filmes e documentários, de mais de 25 países. Ainda assim, este ano, o grande destaque recairá sobre o cinema ambiental português.

Em tempos de pandemia, a 26ª edição do CineEco proporcionará um novo olhar sobre a premente consciencialização e urgência no debate sobre os temas ambientais. Este ano, o cinema ambiental em língua portuguesa estará em grande destaque, entre longas, médias e curtas-metragens, representando cerca de metade de todas as obras em competição.

Na competição Internacional de Longas-Metragens serão esperados nomes como “O Que Arde”, de Oliver Laxe; “The Great Green Wall”, do inglês Jared P. Scott; “Sockeye Salmon Red Fish”, de Dmitriy Shpilenok, entre outros.

No total, a competição Internacional de Curtas-Metragens contará com 34 filmes.

Fotografia disponível via facebook “CineEco Seia

Já, na competição de Longas-Metragens em Língua Portuguesa destacar-se-ão três documentários portugueses: “Silêncio – Vozes de Lisboa”, de Judit Kalmár e Céline Coste Carlisle; “Cerro dos Pios” de Miguel de Jesus e “A Alma de Um Ciclista” de Nuno Tavares.

A Casa Municipal da Cultura de Seia garante estar preparada para acolher o público. Como tal, adotará algumas regras de segurança, como a diminuição da lotação das salas para metade da sua capacidade total. Assim, o Cineteatro poderá acolher até 170 pessoas e o Auditório até 70 pessoas.

Dadas as circunstâncias, não está prevista a presença de alunos do 1º ciclo e jardim-de-infância, que habitualmente se deslocavam ao CineEco. Haverá, também, uma diminuição do número de convidados, como realizadores, elementos do júri da juventude, padrinhos, entre outros.

Todas as sessões e atividades paralelas irão decorrer em sala e estarão sujeitas a marcação prévia, não estando previstas sessões online. Para abranger um número mais vasto de pessoas, a Organização do CineEco pretende reforçar o conjunto de extensões ao longo do ano.

Fotografia disponível via facebook “CineEco Seia

Também as Ecotalks serão adaptadas à situação atual. De forma a diminuir o número de pessoas no auditório, serão transmitidas através de plataformas digitais a anunciar, permitindo o acesso a todos os interessados em participar. As Ecotalks são conversas de 50 minutos sobre questões relacionadas com o cinema e o ambiente, com a presença de especialistas nos temas a abordar. Estão previstas cinco conversas com temas a divulgar sempre às 17 horas.

O CineEco é membro fundador e faz parte da direção da Green Film Network, uma plataforma de 40 festivais de cinema ambiental.

O Gerador é parceiro da CineEco.
Isabel Marques
Fotografia disponível via facebook “CineEco Seia

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.