10 instagramers portugueses convidados vão mostrar no Exquisito, o festival de criação artística emergente que chega a Telheiras entre 13 e 15 de setembro, como se sentem depois das certezas absolutas.

Esta exposição, chamada Exposição Instantânea, vai estar em permanência nos 3 dias do festival e expõe trabalhos originais e diferentes a cada dia, de cada um destes 10 autores:

Sofia Calvet – @calvet_scenesfromamemory

Estudou música e participou noutros cursos e projectos fora da academia. Escreve músicas para si para depois um dia as produzir e ver no que vai dar. A fotografia surgiu na sua vida por influência de uma amiga que tinha uma câmera e que a deixou experimentar. No seu Instagram explora esta dimensão fotográfica, uma lufada de ar fresco em tom poético.

David Afonso – @davidaba

22 anos nascido e criado em Olhão no distrito de Faro, Algarve. Sempre teve grande interesse pelo mundo das artes, desenho, cinema e fotografia, o que o fez seguir o curso de Artes Visuais no secundário e, posteriormente, o curso de Som e Imagem na Escola Superior de Artes e Design das Caldas da Rainha. O seu trabalho é altamente inspirado pela moda, imagem conceptual e cinema. De entre diversas áreas de fotografia perpetua-se uma hegemonia da fotografia autoral, da expressão pessoal, com o seu próprio olhar e com base nas suas influências.

Rita Neves – @eyes.of.rita

Não é uma certeza absoluta que @eyes.of.rita se chame Rita Cruz Neves e tenha nascido em 1977. Ninguém conseguiu efectivamente confirmar que seja licenciada em Design de Comunicação pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa ou que tenha desenvolvido inúmeros projectos para museus, instituições culturais e EGEAC. Há quem diga que tomou contacto com a fotografia ainda na adolescência e que nunca mais conseguiu parar de fotografar. Consta que expôs na Galeria Paula Cabral, no Circulo de Letras, na Galeria SPGL com o seu projecto fotográfico “Working Class Hero” e porventura no Museu Nacional de Arqueologia e na Mairie de Carnac com o projecto documental “Paisagens Megalíticas”… mas podem ser apenas ‘fake news’.

Inês Mota – @_osowa 

Inês F Mota de 26 anos, licenciada em Design de Comunicação na Faculdade de Belas-Artes em Lisboa. Terminou o curso em Lódz na Academia Sztuk Pieknych onde consolidou o seu lado mais craft no Design Gráfico. Em 2014 lançou uma marca própria, a SO SO, marca de moda onde criava e desenvolvia as suas peças. Em 2016 começou a trabalhar como Directora de Arte em marcas nacionais e internacionais como Super Bock, Farmácias Portuguesas, NOS, Ageas. Em 2017 começou a Osôwa, onde combina a criatividade e o divertimento numa página de Instagram.

Philippe Simões – @lippesim

Philippe Simões, 28 anos. Nome francês, mas de alma portuguesa. Mudou-se para Portugal quando tinha 10 anos. Vive no Porto há dois. Estudou design editorial em Tomar. A fotografia revelou-se uma das suas grandes paixões, juntamente com design, arquitetura e as áreas artísticas à volta. Não se considera ainda fotógrafo mas é algo que tem vindo a aprimorar, autonomamente, a nível pessoal e profissional.

Margarida Reis Pereira – @margaridareispereira

Nasceu em Lisboa, em 1990 e é arquitecta. Depois de se formar, viveu e trabalhou primeiro na Antuérpia e, mais tarde, em Londres. A descoberta de novos contextos despoletou uma maior vontade pela sua exploração e documentação, através da fotografia. E simultaneamente, pela definição de um estilo próprio, minimal. Actualmente, reside em Lisboa, uma cidade que redescobre e que a inspira. A par da arquitectura, a fotografia tornou-se também uma forma de expressão e criação. Interessa-lhe olhar e compreender os espaços e as suas dinâmicas: a percepção dos limites, a dicotomia entre luz e sombra, cheio e vazio e a reflexão sobre comportamentos e interacções. Em última instância, pretende, através destes exercícios, despertar uma visão diferente sobre a arquitectura, o quotidiano e o banal.

Mariana Rocha – @mariana.procha

Nascida em 1994 na cidade do Porto. Estudou Comunicação Audiovisual na Escola Artística Soares dos Reis e licenciou-se em Artes Visuais – Fotografia na ESAP. Trabalha maioritariamente com fotografia explorando o auto-retrato, a auto-biografia, o íntimo, o corpo e o espaço. As suas imagens são essencialmente feitas com analógico nos mais variados formatos.

Matilde Cunha – @matilde__cunha 

A Matilde tem 22 anos e é natural do Porto. Frequentou a Escola Artística Soares dos Reis onde se especializou em fotografia. Dividida entre o Porto e Lisboa, estudou fotografia no IADE e completou o curso avançado em fotografia no Ar.co. Neste momento encontra-se no Porto, onde vive e trabalha como freelancer.

Matilde Viegas – @matildeviegas 

Mestre em Bioquímica e actualmente doutoranda em Química Teórica. Fotógrafa auto-didacta, começou a usar a Nikon FM2 de uma amiga em 2008, apaixonou-se pela fotografia analógica e é com isso que preenche o tempo que passa fora do laboratório. Cedo se apercebeu que é incapaz de fazer uma só coisa e por isso é incapaz de escolher entre fotografia e ciência. O seu trabalho é dependente da intimidade e empatia que encontra no dia-a-dia, focando-se nas pessoas que mantém próximas. O uso de filme é chave para o seu trabalho: pelo processo, pela fisicalidade e pela espera.

Miguel Miguel – @miguelvmiguel

Nasceu no Porto em 1993. Artista visual e fotógrafo, vive e trabalha entre Porto e Lisboa. Formou-se em comunicação audiovisual – fotografia, na Escola Artística Soares dos Reis e frequentou a licenciatura em Tecnologias da Comunicação Audiovisual na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo do Instituto Politécnico do Porto, que terminou na Antuérpia, Bélgica. Hoje está a terminar o Mestrado em Arte Multimédia, vertente de Audiovisuais, na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa. Participou em várias exibições ou exposições coletivas, nomeadamente em “Ondas numa corda”, no Fórum Maia (2008), na Galeria Atelier Geraldes da Silva com o projeto “WIP – The Portfolio Project”(2010), no Centro Português de Fotografia com o “Projeto 15” (2015) e na “Matinés à Tetris ll” no Tetris Porto (2018). A sua primeira exposição individual, com o nome de “Meta-Terrenos” esteve presente na FBAUL no âmbito do projeto de mestrado (2018).

A programação completa do Exquisito já está disponível online e podes mesmo descarregar o PDF com tudo aqui. Mas ouvimos dizer que, até Setembro, há ainda surpresas por revelar, por isso, aconselhamos-te a ficar atento ao site do Exquisito para não perderes pitada.

O passe geral para os 3 dias tem o custo de 15 eur e o bilhete diário de 8 eur. E, claro, os Sócios Gerador têm acesso a vantagens no preço dos bilhetes do Exquisito. Para eles o passe custa 10 eur e o bilhete diário 6 eur.

O Exquisito é uma ideia e uma produção do Gerador.
Créditos – Foto de Miguel Miguel