O Festival ao Largo está de regresso à cidade de Lisboa, a partir de dia 9 de julho. Na 13.ª edição, a programação integra um conjunto de cinco espetáculos de música clássica e dança, de entrada gratuita, que ocupam o Largo de São Carlos até dia 28 de julho.

No dia 9 de julho, o Festival ao Largo arranco com a atuação da Orquestra Sinfónica Portuguesa e a meio-soprano Cátia Moreso. Pelas 21h, o Largo de São Carlos recebe o espetáculo “Batidas do Destino”, com as obras de Manuel Falla e Beethoven, que se repete no dia 10.

Festival ao Largo na edição de 2020 @Susana Chicó

São quatro os conjuntos musicais que fazem chegar o seu talento ao Largo de São Carlos. No dia 12 de julho, 12 canções com música de Nuno Côrte-Real, a partir da poesia de José Luís Peixoto, compõem o concerto do Ensemble Darcos e da cantora Maria João. Já a 13 de julho, a soprano Dora Rodrigues e o tenor Marco Alves dos Santos interpretam “Da Opereta à canção napolitana”, ao lado da Orquestra Sinfónica do Conservatório Regional de Artes do Montijo. No dia seguinte, 14 de Julho, as composição atravessam fronteiras, Paisagens ibero-com artistas como Abel Ferreira, Léon Cardona, Astor Piazzolla e Carlos Gardel. António Saiote, Artur Caldeira, Daniel Paredes e Carlos Meireles. “Fado canção e guitarradas” é o espetáculo de dia 15 de julho, pela Lusitânia V, com arranjos e adaptações de Jorge Varrecoso.

A Orquestra Sinfónica Portuguesa junta-se ao Coro do Teatro Nacional São Carlos e volta a atuar, nos dias 16 e 17 de julho, desta vez na sala principal do Teatro Nacional São Carlos. Nestas datas, a sessão contempla um espetáculo dedicado a “Música para Cinema”, com lotação limitada e transmissão na RTP3 para o Largo de São Carlos, oferecendo a possibilidade de visualizar o concerto ao ar livre. De “Imperial march”, “Duel of the fates” e “Hymn to the fallen”, de Williams, para a saga de Star Wars; “Deborah’s theme”, de Era uma vez na América, de Morricone; e “Selections for orchestra”, do filme West Side Story, muitas são as obras que integram o reportório das segundas datas do festival.

Festival ao Largo na edição de 2020 @Susana Chicó

E não só de música clássica vive o Festival ao Largo. De 22 a 24 de julho, a Companhia Nacional de Bailado apresenta três peças, “Shostakovich Pas-de-Deux, com coreografia de Yannick Boquin; O Canto do Cisne, com coreografia de Clara Andermatt; e In the Future, com coreografia de Hans van Manen.

A 13.ª edição do Festival ao Largo encerra a 27 e 28 de julho, com a peça “Território IV”, dos Estúdios Victor Córdon, que chega a Portugal com os excertos de “Entity, do coreógrafo britânico Wayne McGregor, e uma nova criação do coreógrafo israelita Shahar Binyamini. O programa, que acolhe 12 jovens bailarinos de escolas de dança de todo o país, integra também a curta-metragem do realizador João Afonso Vaz.

Este ano, à semelhança da edição passada, o festival será transmitido via streaming nas plataformas digitais do festival e do Millennium bcp, patrocinador da 13.ª edição do Festival ao Largo, que acontece de 9 a 28 de julho de 2021.

Texto de Ana Mendes
Fotografias de Susana Chicó

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.