A Transborda, Mostra Internacional de Artes Performativas de Almada, inicia a sua primeira edição em Janeiro de 2021. De 23 de Janeiro a 6 de Fevereiro na cidade de Almada.
Num contexto dedicado à criação de ponta contemporânea, à partilha artística e à difusão de obras performativas movidas pelo desejo de experimentação e de exceder fronteiras. A mostra traz à cidade artistas provenientes do Brasil, Portugal e França que experimentam práticas urgentes e inovadoras em dança e noutras artes performativas.

Fotografia da cortesia da organização

Para a 1ª edição são convidados oito criadores para apresentar cinco obras: João Fiadeiro e Carolina Campos (Portugal/Brasil), Eduardo Fukushima (Brasil), Sofia Dias e Vítor Roriz (Portugal), Vania Vaneau (Brasil/França) e Jonas Lopes e Lander Patrick (Portugal).

Além das ações presenciais, a Transborda apresenta o projeto “Brasil Sequestrado” com performances concebidas para o formato digital por Eduardo Bonito e Isabel Ferreira, curadores residentes em Madrid. As apresentações foram criadas especialmente para a mostra e contam com a participação de diversos artistas do Brasil. “Brasil Sequestrado” gera contextos de debate e visibilidade em torno à situação de crise cultural, social e política no Brasil, e apoia a produção e a circulação internacional de obras de artistas brasileiros.

Fotografia da cortesia da organização

A Transborda propõe também aproximações aos processos criativos dos artistas convidados, em 2021 viabiliza oficinas de criação com os coreógrafos João Fiadeiro e Eduardo Fukushima e conversas mediadas por Ruy Filho, crítico de artes, diretor da revista Antro Positivo.

A 1ª edição da Mostra Internacional de Artes Performativas de Almada – Transborda conta com o apoio da República Portuguesa - Cultura/Direção-Geral das Artes e da Casa da Dança.

Texto de Isabel Marques
Imagem da cortesia da organização