Ontem, dia 18 de Fevereiro, o Instituto do Cinema e do Audiovisual anunciou a abertura dos concursos anuais de apoio à produção, exibição e distribuição de cinema e audiovisual português. Verifica-se o aumento de 1 milhão, em relação ao ano passado. Estão disponíveis 22,7 milhões de euros para distribuir por 29 categorias. 11,4 milhões destinam-se ao cinema, enquanto que 4 milhões ao audiovisual.

"Em comunicado, o ICA detalha que “os concursos de 2020 incluem os apoios a Novos Talentos e Primeiras Obras, Cinema, Audiovisual e Multimédia, Exibição em Festivais e Circuitos Alternativos, Internacionalização e Apoio Ad Hoc” e assinala que abrem também concursos de apoios plurianuais à Formação de Públicos nas Escolas e à Realização de Festivais de Cinema em Território Nacional", como se lê no Público.

A declaração de prioridades para 2020 do ICA, indica um reforço de 130 mil euros no concurso de apoio à Produção de Documentários Cinematográficos, de 500 mil euros nos Apoios Automáticos, de 25 mil euros no apoio à Exibição (destinados à exibição de obras nacionais, europeias e de outros países com distribuição inferior a 5% da quota de mercado em Portugal) e de 135 mil euros no apoio ao Audiovisual e no reforço do programa de apoio à escrita e desenvolvimento. O montante referente aos Apoios Automáticos é motivado pelo sucesso dos filmes nacionais nas salas de cinema, em 2019. Desde 1975, 2019 foi ano em que se verificou uma das mais elevadas quotas de cinema português visto em sala, registando 4,5%. Variações foi um dos grandes responsáveis por este resultado.

Contar-se-á com 2,4 milhões de euros (a distribuir por três anos) para a Exibição em Festivais e Circuitos Alternativos em Portugal e o programa de apoio à escrita e desenvolvimento no audiovisual superará os 135 mil euros. Também serão distribuídos, por três anos, 300 mil euros para o concurso plurianual de Acções de Formação Destinadas ao Público Infantil e Juvenil e a Formação de Estudantes na Área do Cinema e do Audiovisual, que contará com com 270 mil euros.

Texto de Raquel Botelho Rodrigues e Público
Fotografia de Erik Witsoe, via Unsplash