fbpx
Menu Grande Pesquisa
Carrinho0

250 filmes em 11 dias. Nova edição do IndieLisboa arranca na próxima semana

Começa na próxima semana a 19ª edição do IndieLisboa. O festival, que decorrerá de 28 de abril a 8 de maio, contará com cerca de 250 filmes e terá lugar entre o Cinema São Jorge, a Culturgest, a Cinemateca Portuguesa e a Biblioteca das Galveias. Esta edição promete ficar ainda marcada pela Competição Nacional de Longas mais extensa da história do festival, destaca a organização.

“A programação está fechada. São cerca de 250 filmes, no total, numa edição – a 19ª – em que o festival regressa ao calendário de sempre, entre os meses de abril e maio”, começam por explicar os responsáveis, em comunicado.

No que diz respeito à Competição Nacional de Longas, estão na corrida nove longas metragens, com “autores de gerações diferentes” e com “abordagens distintas entre si”. Isto numa “prova da vitalidade que se vive atualmente no cinema português”, salienta a organização do IndieLisboa. As longas selecionadas são: Atrás Dessas Paredes, de Manuel Mozos, Mato Seco em Chamas, de Adirley Queirós e Joana Pimenta, O Trio em Mi Bemol, Rita Azevedo Gomes, Super Natural de Jorge Jácome, Frágil, de Pedro Henrique, Périphérique Nord de Paulo Carneiro, Rua dos Anjos de Renata Ferraz e Maria Roxo, Viagem ao Sol de Sousa Dias e Ansgar Schaefer e Águas do Pastaza de Inês T. Alves.

Além disso, no que diz respeito às curtas metragens, também foram escolhidos trabalhos de “realizadores em diferentes fases do seu trajecto, num misto de autores estabelecidos e novos cineastas”, asseguram os responsáveis. Assim, o IndieLisboa contará, nesta edição, com o filme Às Vezes Os Dias, Às Vezes A Vida de Janine Gonçalves, mas também com O Banho de Maria Inês Gonçalves, Domy + Ailucha - Cenas Kets! de Ico Costa, Azul de Ágata de Pinho, By Flávio de Pedro Cabeleira, Mistida de Falcão Nhaga e Tornar-se um Homem na Idade Média de Pedro Neves Marques.

Quanto à secção Boca do Inferno – que se dedica às “obras que rasgam livremente fronteiras de registo e de temas, sem tabus” –, estão programados oito curtas e quatro longas, entre as quais a organização do IndieLisboa destaca o filme She Will de Charlotte Colbert e o filme Holy Emy de Araceli Lemos. Em causa estão “filmes desconcertantes, com temas fracturantes”, descrevem os responsáveis. Por exemplo, o primeiro dos filmes destacados é um “revenge movie da era #MeToo” e o segundo debruça-se sobre “duas irmãs e os poderes curativos sobrenaturais da mãe delas.”

Esta 19ª edição do IndieLisboa tem ainda 12 filmes na secção competitiva Novíssimos, que se dedica aos "filmes de jovens cineastas que estão a dar os seus primeiros passos". “Alguns realizaram o seu filme em contexto escolar, outros realizaram sozinhos uma primeira obra, independentemente de qualquer apoio, mas todos competem pelo Prémio Novíssimos Betclic”, é explicado na nota divulgada. Na corrida, estão, por exemplo, o filme Catástrofes Naturais de Margarida Pinto da Fonseca e o filme Milagre de Agualva Cacém de Ricardo Guimarães.

Já no âmbito das Sessões Especiais, está programado um double bill com dois filmes (Albufeira de António Macedo e Zéfiro de José Álvaro de Morais) restaurados no quadro do Projecto Filmar, da Cinemateca Portuguesa. Além disso, esta secção contará com A Viagem de Pedro de Laís Bodanzky, um filme sobre “um homem sem lugar no mundo, entre o passado glorioso e o presente incerto, em busca de um novo propósito.”

Quanto à secção dedicada aos documentários, será mostrado o filme O Jovem Cunhal de João Botelho, mas também Uma Coisa em Forma de Assim do mesmo realizador, Uma Coisa em Forma de Assim de Margarida Cardoso, Lisboa, Cidade Triste e Alegre de João Trabulo e Um Nome para o Que Sou de Marta Pessoa.

“O programa Cinema e 5L, realizado em parceria com o Lisboa 5L, o novo Festival Literário da cidade de Lisboa, junta cinco filmes onde a literatura é protagonista.  Este ano há filmes recentes, como Correspondências, de Rita Azevedo Gomes, e clássicos de sempre, como News from Home, de Chantal Akerman”, destaca, por outro lado, a organização.

Já no que toca à secção Director’s Cut, que se debruça sobre os “filmes novos que procuram inspiração e matéria no património do cinema”, há cinco longas e duas curtas programadas. “É impossível não destacar a exibição restaurada de The History of the Civil War de Dziga Vertov. Restaurado em 2021, no ano do centenário da exibição do documentário original, o filme acompanha os anos de ressaca da Revolução Russa”, sublinham os responsáveis. 

“Na secção Silvestre – Fora de competição, três novas confirmações, três nomes grandes do cinema europeu - Cow de Andrea Arnold, The Souvenir: Part II de Joana Hogg e Rimini de Ulrich Seidl”, frisa a organização, que chama a atenção, por outro lado, para o filme Meet me in the Bathroom de Will Lovelace e Dylan Southern, no âmbito do IndieMusic. Trata-se de um “filme fundamental para percebermos o mood de Nova Iorque pré-11 de setembro”, é esclarecido em comunicado.

Toda a programação poderá ser consultada aqui.

Texto por Isabel Patrício
Fotografia de Geoffrey Moffett via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.

NO GERADOR ABORDAMOS TEMAS COMO CULTURA, JUVENTUDE, INTERIOR E MUITOS OUTROS. DESCOBRE MAIS EM BAIXO.

Já pensaste em tornar-te sócio gerador?

Ser Sócio Gerador é ter acesso à assinatura anual da Revista Gerador (4 revistas por ano), a descontos nas formações da Academia Gerador, passatempos exclusivos, experiências e vantagens na cultura.

A tua lista de compras
O teu carrinho está vazio.
0