Hoje falo-te sobre empreendedorismo, uma vertente influenciada – inconscientemente – pela minha família e que, por isso, está tão enraizada em mim. Da minha experiência destaco cinco competências que considero importantes no perfil de um empreendedor: a capacidade de acreditar, a coragem para inovar, não ter medo de arriscar, saber recomeçar e dar amor.

Entre os ideais de vida que muitas pessoas traçam para si, ser empreendedor faz parte de muitos deles. Veem no empreendedorismo o conforto e a estabilidade financeira tão desejada, mas nem sempre é assim.

Para mim, ser empreendedor é acreditar em todos os projetos a partir do momento em que são apenas uma ideia e conseguir dar-lhes vida, independentemente das adversidades ou da opinião dos outros, e principalmente dos mais próximos.

Faz também parte do perfil de um empreendedor a coragem. A coragem para criar projetos diferenciadores. Desde agarrar em ideias simples ou em coisas que já existem e inovar ou criar totalmente de raiz o que ainda não existe. Coragem também para saber dizer não quando é preciso.

Ter a capacidade de conseguir arriscar e descobrir o desconhecido. Arregaçar as mangas e sair da zona de conforto, porque só assim conseguimos aproveitar todas as oportunidades.

Depois, é ter a capacidade para recomeçar. Recomeçar as vezes que forem necessárias. Os insucessos ensinaram-me que o medo de recomeçar é que nos impede de evoluir, seja nos negócios ou na vida. Aceitar que nem sempre tudo corre bem, e ter a motivação necessária para não desistir e começar de novo, uma e outra vez, reinventar o processo e continuar.

A criatividade e vontade de arriscar fazem parte do dia a dia de um empreendedor.

Por fim, e para mim um fator essencial, é colocar amor em tudo o que faço. O princípio para um projeto bem-sucedido é a dedicação e o amor que investimos.

Ainda que tenhamos uma equipa ou muitas pessoas à volta, ser empreendedor é muitas vezes um caminho solitário. Por um lado, para a equipa é preciso ser um líder, inspirar, encorajar, motivar, dar ferramentas e ver a equipa crescer à medida que os projetos e eu cresço também. Por outro lado, é não ter um horário fixo, é terminar de trabalhar tarde e começar ainda mais cedo, abdicando muitas vezes da vida pessoal e social.

Além destas competências, qualquer negócio, ideia ou projeto deve começar com um plano de negócio: a quem se destina, em que medida é diferente do que já existe, como vais comunicar, qual é o ciclo de vida, qual é o investimento financeiro necessário e a margem de lucro são apenas algumas das questões que deves definir antes de começar.

Se não souberes como, estuda, pesquisa, não só no que está escrito em livros ou na internet, mas também no que os outros estão a fazer e como estão a fazer. Analisa o teu mercado, a tua concorrência, como se comporta e comunica. Analisa a opinião dos clientes, na maior parte das vezes, é aí que estão as oportunidades, nas necessidades das pessoas.

O foco principal de um empreendedor é cumprir um objetivo, esteja ele relacionado com a resolução de um problema ou com uma forma de facilitar a vida de outras pessoas.

Define também o teu plano B, o que vais fazer se não funcionar? Este momento de reflexão é importante, não só para estares consciente das opções caso não corra como definiste inicialmente, como também para perceberes de que forma te podes reinventar.

No meu caso, apesar de todas as dificuldades e desafios, ser empreendedora é o que permite fazer das minhas paixões, o meu trabalho e isso faz-me sentir completa e feliz.

Pelas minhas mãos, vejo nascerem todas as ideias, sonhos e projetos, uns com mais facilidade que outros, mas todos criados com toda a minha arte, amor e dedicação.

Ainda que, ao longo do meu percurso profissional, tenha cometido alguns erros, encontrei sempre a motivação para começar de novo. Reconheci esses erros, aprendi, voltei a criar e a inovar, mesmo quando parecia impossível.

Ser empreendedora, foi a melhor escolha que fiz e é desta forma que vivo este conceito.

Vivo para criar. Fazer acontecer.

Com amor,
Sofia Dinis

-Sobre Sofia Dinis-

Sofia Dinis é tatuadora, fotógrafa, designer, ilustradora, criadora de conteúdos e muito mais. Sofia Dinis é artista.
Nasceu e cresceu em Albufeira, mas foi em Lisboa que floresceu. Mudou-se para a capital para tirar a licenciatura em design de comunicação, no IADE, e foi nesta cidade que construiu todos os seus projetos. Teve um espaço de estética e deu formação na área, trabalhou como fotógrafa e designer e abraçou a tatuagem como hobby.
Em 2017, viu-se obrigada a repensar o seu percurso profissional quando fechou o seu espaço de estética e design e regressou a Albufeira. No meio do caos, decidiu que queria ser tatuadora a tempo inteiro e a 15 de fevereiro de 2018 regressou a Lisboa. Dava assim o primeiro passo para se tornar a tatuadora que toda a gente conhece.
O projeto SHE IS ART nasceu em pleno coração de Lisboa, numa casa de Air BnB de uma amiga. Durante duas semanas, Sofia tatuou 2 amigos e fotografou os trabalhos de forma a parecer que tinha um extenso portfólio. Desenhou o seu Instagram, desenvolveu a marca e, duas semanas depois, começou a receber vários pedidos para tatuar, não tendo parado desde então. Em menos de um ano, tinha mais de 50 mil seguidores no Instagram e uma lista de espera de 8 meses.
A marca SHE IS ART não parou de crescer ao longo destes 3 anos. Neste momento, é muito mais do que um projeto de tatuagens, é um projeto artístico. O ano passado, Sofia lançou o seu primeiro produto, o Diário 2021. Este ano, tem já planeados novos projetos para apresentar ao público. Afinal, criar faz parte da sua essência.

Texto de Sofia Dinis
Fotografia cortesia de Sofia Dinis
A opinião expressa pelos cronistas é apenas da sua própria responsabilidade.
gerador-gargantas-soltas-sofia-dinis