Dia 1 de outubro o destino da Orquestra de Jazz de Matosinhos (OJM) é o Teatro Municipal de Bragança, no Festival Bragança Jazz. Voltar no tempo é a promessa da Viagem Pelo Jazz Português: Compositores.

A partida começa no Norte mas o rumo está longe de terminar. É também no dia 5 de novembro que a Orquestra vai passar pelo Centro Cultural das Caldas da Rainha, no regresso ao Festival Caldas Nice Jazz.

O período de ouro das “big bands” nos EUA tem vindo a ser motivo de comemoração desde 2018. No entanto, a Orquestra de Jazz de Matosinhos não ficou por aqui. A OJM ” recupera agora aquele que tem sido o seu mais valioso contributo para o legado do Jazz ao longo dos anos: o estímulo à criação de originais para big band.“, de acordo com o Press que anuncia os concertos.

Cartaz dos Concertos, OJM

A aposta no repertório português para a orquestra de Jazz não é novidade. Nomes como Pedro Guedes e Carlos Azevedo, diretores da OJM, desde cedo se dedicaram a este género musical. As encomendas de vários artistas, nomeadamente, “Bernardo Sassetti, Pedro Moreira e Luís Tinoco são também reflexo ” de grande qualidade, do qual será apresentada uma seleção cuidada e dinâmica”, indicam no mesmo Press.

O concerto reserva estreias como: “Pescaria”, de Bernardo Sassetti, Singularity; a primeira composição de Nelson Cascais para orquestra; “Syzygy”, de Marco Barroso; “Melusina”, de Pedro Moreira, ; “A Ascensão do Quadrado Verde”, de António Torres; Fragmentos, Interlúdio e Canção IX” de Daniel Bernardes; “8 de Maio”, de Paulo Gomes, entre outras.

aqui mais informações sobre os concertos.

Texto de Patrícia Silva
Fotografia de Gemma Evans via Unsplash