Após o lançamento dos singlesGetting Wild“, “Sign” e “Stuck“, Andrage anunciam o primeiro disco, a estrear já no próximo dia 16 de abril de 2021. A banda revela que o disco terá um total de oito faixas, mantendo o suspense relativamente à data de apresentação, que garantem ser ao vivo.

Em “Stuck” apresentam uma fusão de vários géneros, desde sonoridades ligeiras do jazz, evidenciadas pelos sopros, passando pelo rock clássico e avant-rock. Andrage, a completar cerca de cinco anos de palco, elimina as aspirações comerciais e procura uma identidade singular. Uma banda composta por seis músicos, com a vocalista Margarida Marques, Daniel Gouveia no trompete, Humberto Dias na bateria, João Heliodoro no saxofone tenor, José Rego no baixo e guitarra de Pedro Campos.

O disco de estreia foi gravado e masterizado por Bruno Xisto no Black Sheep Studios em Sintra, com o selo da agência de música Throwing Punches.

Andrage surge em 2017, sendo o nome alusivo a uma planta nativa do Alentejo, naturalidade da maioria dos elementos da banda. “Esta planta serve de metáfora para as suas ideias origens: delicadas à superfície mas bem firmes desde a base”, confessa a banda. Já atuaram em diversos palcos ao longo dos anos, no Popular de Alvalade, Sabotage Club, Casa Independente e Cinema Municipal de Mértola, bem como em ambiente de festival, no Caldas Late Night e no Festival Termómetro, que passa por diversas cidades do país.

Texto de Ana Mendes
Fotografias da cortesia de ANDRAGE

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.