Já está disponível o mais recente single do músico Rui Reininho, "Animais Errantes", que abre caminho para o disco a "20.000 Éguas Submarinas", a ser editado em junho deste ano. O novo trabalho, com produção de Paulo Borges, é o primeiro avanço da ode marítima, a poucas léguas de desvendar a essência de Rui Reininho a solo.

Após a "Companhia das Índias", em 2008, chega em 2021 o disco "20.000 Éguas Submarinas", pela editora Turbina. “Animais Errantes” é o single de estreia do novo trabalho de Rui Reininho, acompanhado de um videoclipe da realizadora Mimi Sá Coutinho, concebido no Espaço T – Associação para Apoio à Integração Social Comunitária, onde o músico é Membro do Fórum de Cuidadores há vários anos. O single conta ainda com a participação de Eduardo Lála no trombone, Moisés Fernandes no trompete e Daniel Salomé no saxofone.

A formadora do Espaço T, Filipa Duarte, foi responsável pela encenação do videoclipe, protagonizado por diversos alunos de teatro e dança, com o objetivo de explorar a aceitação da diferença e a entrega artística livre de preconceitos. A Associação luta pela inclusão dos mais vulneráveis, promovendo através da arte o desenvolvimento das mais diversas competências.

"Ao vir à superfície, encontrei o Paulo Borges contido em anos de interpretações alheias e perguntei-lhe, como numa ilha solitária, o que queria criar; saiu-nos um arquipélago provavelmente um dos Açores que já nos sobrevoava com os sons marítimos, o fracasso das ondas nos rochedos e o marulhar crustáceo dos músculos dos 'Animais Errantes', que respeitamos", refere Rui Reininho, a propósito do novo disco.

"Animais Errantes" já se encontra disponível nas várias plataformas digitais.

Texto de Ana Mendes
Fotografia da cortesia de Sara Espírito Santo

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.