A obra “Praças” de António Pedro Serrano de Sousa Correia venceu a 4ª edição do prémio literário UCCLA - União das Cidades Capitais Luso-Afro-Americo-Asiáticas para novos talentos e novas obras em língua portuguesa. O prémio consiste na publicação da obra pela editora com a qual a UCCLA tem parceria, bem como a apresentação da mesma nas cidades que integram a rede da UCCLA e a participação do vencedor bum encontro de escritores dos países de língua portuguesa, que em em 2019 se irá realizar na cidade da Praia, em Cabo Verde. 

Em declarações à agência Lusa, o secretário-geral da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA), Vitor Ramalho, explicou que este prémio pretende mostrar novos talentos da literatura portuguesa, pelo que só se podem concorrer autores que nunca tenham publicado uma obra anteriormente.

O júri do prémio UCCLA, composto por dez elementos, atribuiu também duas menções honrosas a "Alexandria", de João Pedro Morgado Ferreira de Oliveira, também português, e à "Cidade de Cinzas", de José Maria da Silva Nascimento, de nacionalidade brasileira. Foram destacadas ainda duas obras, casos da "Espingarda", da autora brasileira Suélen da Silva Oliveira, e "Incompletos", do português Diogo Gomes Serôdio.

"Recebemos a concurso 799 obras em língua portuguesa, das quais 469 em prosa e 310 em poesia, pelo que se consolidou como o maior concurso de revelação literária de todo o espaço da língua portuguesa", disse hoje, durante a apresentação do prémio, na sede da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), em Lisboa, o coordenador do prémio literário e do setor cultural da UCCLA, Rui Lourido.

O responsável adiantou que nesta 4.º edição, a UCCLA recebeu candidaturas da Europa, Ásia, Oceânia, África e do Continente Americano. Mas a maioria foram de autores brasileiros, seguidos de portugueses. Já o júri foi composto por escritores de todos os países de língua portuguesa.

A apresentação do prémio da UCCLA na sede da CPLP inseriu-se num conjunto de iniciativas que esta organização tem vindo a realizar no âmbito das comemorações do "Dia da Língua Portuguesa e da Cultura na CPLP", que se assinalou a 05 de maio. Neste contexto, foi lançado também no dia 9 de maio, na sede da instituição, o Arquivo Multimédia da Poesia dos Países da CPLP, pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias (ULHT).

A União das Cidades Capitais Luso-Afro-Americo-Asiáticas foi criada a 28 de junho de 1985 pelo então Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Nuno Krus Abecasis. Nesse dia, de acordo com o site oficial da UCCLA, assinaram o acto de fundação as cidades de Bissau, Lisboa, Luanda, Macau, Maputo, Praia, Rio de Janeiro e São Tomé/Água Grande.

O objetivo principal de Nuno Krus Abecasis ao convocar oito cidades capitais de língua portuguesa em quatro continentes diferentes — África, Ásia, América do Sul e Europa — para a fundação do UCCLA, foi encontrar “no desenvolvimento de acções concretas o terreno ideal para a concreta e plena realização do intercâmbio de experiências e cooperação, em ordem a um melhor conhecimento recíproco”. Sabe mais sobre a UCCLA, aqui

Texto de Lusa e Carolina Franco
Fotografia de John-Mark Smith via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.