fbpx
Menu Grande Pesquisa
Carrinho0

Apoio à mobilidade internacional. Culture Moves Europe

Nas Gargantas Soltas de hoje, Francisco Cipriano fala-nos da iniciativa Culture Moves Europe, que apoia a mobilidade internacional.

Fotografia da cortesia de Francisco Cipriano

Monika recorda o primeiro dia da residência: "conhecia todos os artistas que eram convidados e que vinham, mas eles não se conheciam entre eles e isso é desafiante. Todos chegaram a tempo e, pouco a pouco, foram chegando ao estúdio um a um. Bárbara mais tímida, com uma cara que expressava "estou perdida, mas cheguei de qualquer maneira", depois entra Saša com o sorriso no rosto e uma expressão que transparece "finalmente consegui Madrid". Já Diana entra sossegada com domínio do tempo e do espaço. Finalmente entra a colega italiana Chiara que não tinha certeza se bateu na porta certa. Mas sim, bateu!" Assim foram os primeiros minutos da residência artística do projeto MeetShareDance Association, Learning and Creating New Practices for Dancers with Disability Artists and teachers collaborate to share their inclusivity practices realizada ao abrigo da iniciativa I-Portunos.

Monika Požek, da MeetShareDance Association, recebeu Saša Jovanović (professora e proprietária de uma escola de dança), Barbara Šamperl (professora de yoga, fundadora do Plano B), Diana Leitão Azevedo (coreógrafa, bailarina e professora) e Chiara Gelmini (artista visual e baseada em performance) como parte do seu projeto colaborativo MeetPro22. Trazendo as suas experiências e práticas para Madrid durante dez dias, os residentes exploraram possibilidades de combinar música, dança e teatro, partilhando conhecimentos de modo a criar novos projetos artísticos e educativos num formato que possa posteriormente ser entregue às comunidades locais e grupos inclusivos.

Continua Monika Požek: “no início éramos um grupo de cinco desconhecidos. Cinco personagens muito diferentes, na mentalidade e nos percursos de vida, que tinham pela frente dez dias intensos de trabalho juntos por muitas horas. O resultado poderá ser um novo projeto de longo prazo, uma nova cooperação entre Itália e Espanha, uma nova coprodução com a equipa portuguesa, tantas opções são possíveis. No final, o que mais significativo foi o processo e as ligações que fizemos com a comunidade local, foram as nossas conversas diárias no tempo livre e no tempo de trabalho, na descontração do copo de vinho após mais uma sessão de dança, nas novas ideias que emergiram no coletivo e em cada um de nós. Sem a possibilidade criada pelo I-Portunus, provavelmente nunca nos teríamos encontrado, ou não nos teria ocorrido juntar forças.”

Com o principal objetivo de ligar artistas, criadores e profissionais culturais internacionais e apoiar colaborações internacionais entre todos os países participantes no Programa Europa Criativa, o i-Portunus foi um regime financiado pela Comissão Europeia que apoiou a mobilidade de artistas, criadores e profissionais culturais, implementado por consórcios de organizações culturais. O i-Portunus financiou missões de curto prazo para os artistas irem para o estrangeiro em residência e para que instituições anfitriãs possam recebê-los e assim atrair talento internacional. A filosofia subjacente a este programa é aumentar as oportunidades de colaborações internacionais, desenvolvimento profissional e residências orientadas para a produção criativa.

A nova iniciativa Culture Moves Europe tornar-se-á uma ação permanente no âmbito do programa Europa Criativa e segue o bem-sucedido projeto-piloto I-Portunus que decorreu entre 2018 e 2022. O regime baseia-se nas recomendações decorrentes desta fase piloto e disponibilizará um esquema de mobilidade de 21 milhões de euros para artistas e profissionais da cultura.

A iniciativa Cultura Move Europa irá possibilitar bolsas a artistas, operadores culturais, organizações de acolhimento de todos os sectores abrangidos pela vertente cultura e dos países participantes no programa Europa Criativa, onde os artistas emergentes receberão uma atenção especial. A nova iniciativa permitirá que cerca de 7.000 artistas, criadores e profissionais culturais possam sair do seu país para desenvolvimento profissional ou colaborações internacionais para coproduzir, cocriar apresentar as suas obras a novos públicos.

Na anterior iniciativa existiram duas modalidades i-Portunus que permitiram mobilidade internacional, quer através de projetos individuais, quer através de uma instituição de acolhimento.

Para se candidatar, o candidato tinha apenas de organizar um projeto com uma instituição parceira de acolhimento noutro país da Europa Criativa onde tinha de descrever o projeto e o seu principal objetivo de colaboração internacional/residência orientada para a produção ou o desenvolvimento profissional. Devia ainda explicar como a mobilidade lhe permitirá alcançar o objeto enunciado e fornecer documentos que mostram que fez planos com um parceiro e que o parceiro está comprometido com o seu projeto.

Já os anfitriões, em colaboração com os seus artistas/profissionais culturais visitantes, apresentaram uma ou mais ideias de colaboração, delineando os objetivos da sua cooperação e mobilidade, justificando a sua escolha de convites e o que pretendem alcançar durante a sua colaboração.

As primeiras chamadas da nova iniciativa Culture Moves Europe são esperadas no outono de 2022 sendo já conhecidos os dois tipos de subvenção: i) Ação de mobilidade individual destinada a artistas individuais e profissionais culturais que viajem entre 7 e 60 dias ou grupos de indivíduos (até 5 pessoas que viajam entre 7 e 21 dias). Será aberto para todos os sectores de uma só vez, todos os anos entre o outono e a primavera; ii) Ação de residências: residências de curta duração de 1 a 3 meses; residências de longa duração de 3 a 6 meses e residências alargadas até 10 meses. Aqui os avisos serão para cada sector e serão abertos apenas duas vezes durante a duração do regime.

Muito importante é saber quem exatamente se pode candidatar. Este esquema de circulação foi pensado para artistas, criadores e profissionais culturais que trabalham em qualquer sector cultural, exceto o sector audiovisual e para as organizações que trabalham em qualquer sector cultural, com exceção do audiovisual, que organizam regularmente residências ou outros tipos de projetos culturais ligados ao local onde estão implementadas e, claro, que estão interessadas em acolher artistas e profissionais culturais.

Para se candidatar, os candidatos devem preencher os respetivos formulários de candidatura em inglês depois de se terem inscrito na plataforma de candidatura da Goethe-Institut, que irá implementar o regime de mobilidade em nome da Comissão Europeia.

Como inspiração para os futuros projetos é possível visitar a base de dados dos “transartistas” (www.transartists.org), onde são destacadas as organizações de acolhimento que anteriormente acolheram os bolseiros i-Portunus. 

Conforme referi, espera-se que as primeiras chamadas de concurso possam ocorrer já no próximo outono, pelo que o momento de preparar os respetivos projetos é agora. Mas atenção que já há uma chamada aberta para especialistas que se queiram candidatar a avaliadores de projetos. Se tem experiência profissional nos setores culturais e criativos, esta oportunidade pode ser para si.

-Sobre Francisco Cipriano-

Nasceu a 20 de maio de 1969, possui grau de mestre em Geografia e Planeamento Regional e Local. A sua vida profissional está ligada à gestão dos fundos comunitários em Portugal e de projetos de cooperação internacional, na Administração Pública Portuguesa, na Comissão Europeia e atualmente na Fundação Calouste Gulbenkian. É ainda o impulsionador do projeto Laboratório de Candidaturas, Fundos Europeus para a Arte, Cultura e Criatividade, um espaço de confluência de ideias e pessoas em torno  das principais iniciativas de financiamento europeu para o setor cultural. Para além disso é homem para muitas atividades: publicidade, escrita, fotografia, viagens. Apaixonado pelo surf vê̂ nas ondas uma forma de libertação e um momento único de harmonia entre o homem e a natureza. É co-autor do primeiro guia nacional de surf, Portugal Surf Guide e host no documentário Movement, a journey into Creative Lives. O Francisco Cipriano é responsável pelo curso Fundos Europeus para as Artes e Cultura – Da ideia ao projeto que pretende proporcionar motivação, conhecimento e capacidade de detetar oportunidades de financiamento para projetos artísticos e culturais facilitando o acesso à informação e o conhecimento sobre os potenciais instrumentos de financiamento.

Texto de Francisco Cipriano
A opinião expressa pelos cronistas é apenas da sua própria responsabilidade.

NO GERADOR ABORDAMOS TEMAS COMO CULTURA, JUVENTUDE, INTERIOR E MUITOS OUTROS. DESCOBRE MAIS EM BAIXO.

Já pensaste em tornar-te sócio gerador?

Ser Sócio Gerador é ter acesso à assinatura anual da Revista Gerador (4 revistas por ano), a descontos nas formações da Academia Gerador, passatempos exclusivos, experiências e vantagens na cultura.

A tua lista de compras
O teu carrinho está vazio.
0