Ao longo deste mês de junho, o Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas, situado na Ribeira Grande, nos Açores, apresenta uma programação multidisciplinar onde se incluem exposições, teatro, cinema e residências artísticas.

No início deste mês de junho, o centro, em parceria com a AFAA- Associação de Fotógrafos Amadores dos Açores, inaugurou a exposição de Carlos Brum Melo intitulada “Tibete, na sombra do teto do mundo”, patente até 21 de julho. Através deste ensaio fotográfico, o autor convida a uma viagem entre Lhasa e Rongbuk, campo base do Evereste, que percorre a ancestral ligação do budismo ao povo tibetano até à inquietante realidade política e social atualmente vigente entre este povo e a República Popular da China.

Este sábado, dia 8, pelas 21h30, o Arquipélago acolhe a antestreia de “Passos em Volta”, uma peça de teatro da Companhia João Garcia Miguel, com textos de Herberto Hélder, adaptação, direção e espaço cénico de João Garcia Miguel, interpretação de João Lagarto, Duarte Melo, David Pereira Bastos e Lara Guidetti, e Produção de Companhia João Garcia Miguel.

Iván Manzano, vencedor do Prémio Arché/Arquipélago – Centro de Artes Contemporâneas do DOCLisboa 2018, estará em Residência Artística entre 8 e 21 de junho para a escrita de um projeto em desenvolvimento, a ser filmado no futuro.

Nos dias 14 e 15 de junho, o espaço acolhe a última sessão do circuito itinerante “5 filmes, 5 cidades”, promovido pela Ordem dos Arquitetos – Secção Regional do Sul, que apresenta os filmes premiados em 2018 do Arquiteturas Film Festival. As sessões decorrerem na Blackbox, pelas 21h30, e têm entrada livre.

Perto do fim do mês, entre 25 e 29 de junho, regressa a iniciativa O “Verão no Arquipélago”, este ano sob o título “Lugar, Ficção e Paisagem”. A oficina é destinada a crianças entre os 6 e os 12 anos e as inscrições já estão abertas.

Durante esse período, os participantes desenvolvem atividades que se dividem entre o interior e o exterior do edifício, passando pelas habituais oficinas no Serviço Educativo e Biblioteca. A novidade este ano é que os participantes vão passar a noite de 28 para 29 no Arquipélago, onde vão desenvolver algumas atividades noturnas.

No âmbito da exposição “O Olhar Divergente – As Residências Artísticas do Pico do Refúgio como património prospetivo”, o Serviço Educativo preparou para o mês de junho três oficinas, denominada “Ficção”, “Lugar” e “Paisagem”, desenhadas para públicos-alvo distintos, que vão estar disponíveis por marcação para grupos e escolas, de terça a sexta-feira, até ao dia 30. A participação nestas atividades obriga a inscrição prévia, que deve ser feita através do email acacinfo@azores.gov.pt ou através do formulário próprio disponível no site http://arquipelagocentrodeartes.azores.gov.pt/.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Fotografia de José Campos

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.