Inaugura no dia 11 de abril “El futuro ya ha comenzado”, a exposição que leva para Cuba a arquitetura de Álvaro Siza Vieira e Manuel Marques de Aguiar através da lente de Nuno Cera, a propósito da XIII Bienal de Arte de Havana. Patente até ao dia 30 de setembro no Atelier Marco A. Castillo e com curadoria de Verónica Melo, pretende criar uma ponte entre o Porto e Havana na celebração do 500º aniversário da capital cubana. 

O projeto que fala sobre o modernismo português através da obra dos dois arquitetos do Porto é composto não só pelas 24 fotografias documentais de Nuno Cera, mas também por desenhos dos seus protagonistas, que se vão cruzando e completando o discurso do fotógrafo que fala na terceira pessoa. Os 17 desenhos de Álvaro Siza Vieira foram realizados durante as suas viagens a Cuba, enquanto os 20 de Manuel Marques de Aguiar contam uma narrativa da cidade do Porto. Uma entrevista a Siza Vieira pelo arquiteto Nuno Grande, objetos, livros e maquetes juntam-se aos registos fotográfico de Nuno Cera e de desenho dos arquitetos. 

Um dos desenhos de Álvaro Siza Vieira em Cuba

“Uma nova geração de arquitectos e artistas que vislumbram a cidade, a casa e, consequentemente, a vida como algo que pode e deve ser melhorado através da arquitectura e da arte. O uso da arquitectura como ferramenta para a composição da nova vida. Um optimismo generalizado como consequência do desenvolvimento industrial e novas realidades culturais permite que esta geração aspire a um futuro que já começou”, diz Verónica de Mello sobre o seu projeto curatorial, no comunicado de imprensa. 

Fundada em 1984, a Bienal de Arte de Havana tem sido “uma plataforma para a justiça e igualdade”, como descreve a organização na página oficial do Facebook. A 13ª Bienal de Havana estava programada para o ano de 2018, mas teve de ser cancelada devido à passagem do furacão Irma por Cuba, o que levou alguns artistas a unir-se e construir uma pequena bienal alternativa, que a crítica de arte Aldeide Delgado explica neste artigo

Em 2019 conta com mais de 200 criadores de 15 a 20 países, entre eles Portugal, subordinados ao tema geral “A construção do possível”. O evento de artes visuais cubano decorre entre 12 de abril e 12 de maio. 

Texto de Carolina Franco

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.