A Beira Interior vai ter uma nova rede itinerante de intervenção cultural que vai levar espetáculos a sete municípios dos distritos de Castelo Branco e da Guarda.

Coordenada pela Companhia de Teatro ASTA, da Covilhã, a iniciativa tem como objetivo "desenvolver uma programação artística e cultural integrada" na zona composta pelos municípios de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia. A ideia é "promover e valorizar o património histórico-cultural e sensibilizar a comunidade a participar ativamente na afirmação destes territórios", segundo os promotores.

Em comunicado, a ASTA refere que "será entre castelos, anfiteatros ao ar livre, jardins, escadarias, teatros, praças e largos" que irá apresentar "dezenas de espetáculos de dança, teatro e artes circenses".

O projeto denominado Rede Interior será desenvolvido em parceria com os municípios envolvidos estando previstas "apresentações de teatro, dança e circo contemporâneo" que terão lugar "em dois dias consecutivos". Pretende-se, desta forma, usar a cultura para aumentar "os fluxos turísticos e consequente tempo de permanência de quem visita os territórios", lê-se na mesma nota.

Com início previsto em junho, o projeto terá a duração de 18 meses, durante os quais "serão apresentados 14 espetáculos itinerantes e propagadores da identidade e do património natural e cultural do território, catalisadores da participação da comunidade local".

"Esta é uma Rede Cultural diferenciadora não só pelo cariz itinerante dos espetáculos na criação de iniciativas culturais fortemente ligadas ao território, mas também pelo seu cariz social de apoio e capacitação dos agentes de cultura locais, que há muito se debatem contra os constrangimentos da crise pandémica", diz a organização que garante que serão cumpridas as diretrizes da Direção-Geral de Saúde.

Em paralelo à rede itinerante de artes performativas será criada uma Rede Interior Virtual de visitação aos espaços patrimoniais dos municípios abrangidos, através de visitas com recurso à realidade aumentada. O objetivo passa por oferecer "uma atividade alternativa às tradicionais formas de apresentação das visitas guiadas e encenadas, realizadas de forma presencial, permitindo ao turista a visita ao território de uma forma autónoma e `fora de horas`, o que torna a ação mais aliciante tendo em conta o atual contexto de pandemia e os aspetos de saúde pública", de acordo com a ASTA.

Este projeto é cofinanciado pelo Centro2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, tem como entidade líder executora a ASTA -- Teatro e Outras Artes, e como entidades parceiras os municípios envolvidos.

Texto por Sofia Craveiro e Lusa
Fotografia via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal clica aqui.