A BIME - Bienal Internacional de Marionetas de Évora vai regressar entre 1 a 6 de Junho, em Évora, para aquela que já é a sua 15ª edição.

“Esta é uma Bienal ‘de pernas para o ar’, porque também o mundo está assim”, refere José Russo, director do Centro Dramático de Évora (CENDREV), a entidade organizadora da BIME.

Para este ano, numa programação um diferente do habitual, está previsto um encontro dedicado exclusivamente à marioneta portuguesa, uma estreia na grelha da BIME. Aos tradicionais anfitriões deste evento, os Bonecos de Santo Aleixo, vão assim juntar-se marionetas de 21 companhias nacionais para protagonizar as 78 sessões programadas. Ao contrário das edições anteriores não haverá companhias internacionais a participar, pois não foi possível assegurar que as viagens se fariam ser restrições.

“Achámos que esta Bienal podia ser a oportunidade para valorizarmos o universo português da marioneta. Começámos a palmilhar o país e fomos desafiando gente que trabalha nesta área”, diz José Russo.

Devido às restrições impostas para combater a pandemia, não há os habituais espetáculos de rua. “Ao invés, os espectadores vão poder encontrar-se, de forma segura, em 12 espaços alternativos na cidade - desde os antigos Armazéns da Palmeira, passando pela Igreja de São Vicente, até ao Museu Nacional Frei Manuel do Cenáculo - para assistirem ao teatro de marionetas”, de acordo com a organização.

Apesar disso, haverá três espetáculos itinerantes, que irão percorrer diariamente a calçada eborense, embora sem as tradicionais paragens.

O Teatro Garcia de Resende, que foi, recentemente, alvo de obras de remodelação, vai também receber três dos espetáculos da programação da BIME 2021.

Além disso, haverá instalações com marionetas  espólio num conjunto de montras nas principais ruas do Centro Histórico de Évora como “forma de ocupar a cidade com a Bienal”, segundo José Russo. Esta ação é feita em colaboração com o Museu da Marioneta, sediado no Convento das Bernardas, em Lisboa, que foi “desafiado” a colaborar.

Também uma exposição de retratos dos Bonecos de Santo de Aleixo, da autoria do fotógrafo Paulo Nuno Silva, vai contribuir para destacar a presença da BIME no espaço público da cidade. 

Nesta BIME “pensada para um mundo virado do avesso” os bilhetes são gratuitos, mas a reserva é obrigatória. A partir de 17 de maio, entre as 10h e as 18h, será possível reservar os bilhetes através de contacto telefónico (913 610 202 / 913 610 194) e, posteriormente, levantá-los nos espaços dos espectáculos uma hora antes das sessões. A lotação de todos os espaços foi limitada de acordo com as orientações da Direcção Geral de Saúde.

Texto por Sofia Craveiro
Fotografia via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal clica aqui.