Bruno Marchand é o novo programador de artes visuais da Culturgest, foi hoje anunciado em comunicado de imprensa. Sucede, desta forma, a Delfim Sardo, que em breve irá assumir o cargo de administrador do Centro Cultural de Belém (CCB). 

Depois de um período liderado por Delfim Sardo, o departamento de artes visuais da Culturgest passa agora a ter à frente o curador que é mestre em Estudos Curatoriais pela Faculdade de Belas-Artes de Lisboa e doutorando em Arte Contemporânea na Universidade de Coimbra. 

No seu portfólio conta com quatro anos (2009-2013) de experiência enquanto programados do Chiado 8 - Arte Contemporânea, a tua Fidelidade Arte, e dois anos (2017-2019) na equipa de artes visuais da ZDB- Galeria Zé dos Bois. De acordo com o comunicado de imprensa enviado pela Culturgest, entre 2008 e 2019 "Bruno Marchand foi curador de cerca de 40 exposições, em instituições como Fundação Carmona e Costa, Chiado 8 - Arte Contemporânea Culturgest, Galeria Zé dos Bois, Appleton Square, Museu de Serralves, Galeria Quadrum, Centro Cultural Vila Flor, entre outras”. 

A relação de proximidade com o espaço da Caixa Geral de Depósitos, que a partir de agora começará a programar, não é de agora. Em 2013 colaborou na curadoria da exposição comemorativa do 20º aniversário da Culturgest, Sentido em Deriva - Obras da Coleção da Caixa Geral de Depósitos, em 2013; na exposição itinerante Quarto de Espanto/Casa de Espanto/Palácio de Espanto - Em Torno da Colecção CGD, apresentada em Castelo Branco, Bragança e Tavira, em 2016 e 2017; e ainda na coordenação da equipa de 18 autores que elaboraram um conjunto de textos sobre as obras da Coleção da Caixa Geral de Depósitos. 

Além do trabalho enquanto curador e da presença ativa que tem tido em diferentes painéis de júris de concursos e prémios das Artes Visuais, tem participado como orador em conferências e debates e é membro da Secção Portuguesa da AICA - Associação Internacional dos Críticos de Arte. Deu aulas no Ar.Co e na ESAD.CR - Escola Superior de Artes e Design do Instituto Politécnico de Leiria (Caldas da Rainha). 

Marchand é autor dos livros Robert Rauschenberg: A Crítica e a Obra de 1949 a 1974 (2008) e José de Carvalho (2004), e fundou a secção Arquivo da revista L+Arte. Foi editor, juntamente com Pedro Faro, dos Cadernos de Curadoria (2012), um conjunto de 12 jornais dedicados a exposições históricas no contexto português.

Nascido em Évora em 1978, Bruno Marchand junta-se, assim, à equipa liderada por Mark Deputter. 

Texto de Carolina Franco
Fotografia de ©Vera Marmelo

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.