Na sua 25.ª edição, o Caminhos do Cinema Português, que arranca esta sexta-feira, dia 22, em Coimbra conta com uma mostra de 60 filmes, entre longas e curtas-metragens, na seleção Caminhos, a principal secção competitiva do festival.

Tendo a questão da memória como conceito desta edição, a seleção Caminhos, que vai decorrer no Teatro Académico Gil Vicente (TAGV), conta com uma mostra de filmes onde se incluem os documentários Campo, de Tiago Hespanha, Prazer, Camaradas!, de José Filipe Costa, e Fordlândia Malaise, de Susana Sousa Dias, ou as longas-metragens ficcionais Vitalina Varela, de Pedro Costa, e Tristeza e Alegria na Vida das Girafas, de Tiago Guedes. Serão também exibidos os filmes Hálito Azul, de Rodrigo Areias, Variações, de João Maia, Alva, de Ico Costa, e a curta-metragem de Teresa Villaverde Où en êtes-vous, Teresa Villaverde?.

"O cinema nacional mostra-se de dentro para fora, da experiência particular para a colectiva, apresentando para o exterior aquilo que constitui a memória e a imaginação", escreve o responsável pela programação do Caminhos, João Pais, na apresentação desta seleção.

Assim sendo, através da memória - factual directa e imaginária e indirecta - o cinema pode contribuir para "a construção de uma imagem real do mundo e não de um cinema limitado (contra o qual hoje se luta no Brasil) que, em jeito de propaganda, moldará a mente do espectador com uma realidade deturpada que o fará agir “como se” esse mundo realmente existisse", acrescenta.

Ao longo do festival, alguns dos filmes da secção competitiva serão repostos, durante a semana, no cinema do centro comercial Alma. A sessão de encerramento do festival decorre no TAGV, a 30 de novembro, às 21h45, com a entrega de prémios.

Texto de Ricardo Ramos Gonçalves
Still do filme Tristeza e Alegria na Vida das Girafas, de Tiago Guedes

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.