A Imprensa Nacional – Casa da Moeda S.A (INCM) divulgou, esta terça-feira, o regulamento e o prazo de candidaturas para a Primeira Edição do Prémio Jornalismo de Excelência Vicente Jorge Silva. Uma iniciativa, e uma homenagem a uma figura do jornalismo nacional, que pretende distinguir trabalhos que reforcem os diferentes estilos jornalísticos da imprensa escrita. Estilos esses como a investigação, a reportagem ou a análise, contribuindo para uma sociedade mais informada, esclarecida e democrática.

Desde 16 de março, que qualquer jornalista que tenha um trabalho jornalístico publicado entre 1 de janeiro de 2020 e 31 de dezembro de 2020 pode submeter a sua candidatura. A peça vencedora, que tem de estar publicada num meio de âmbito regional ou nacional, português, será premiada no valor de cinco mil euros, independentemente do meio de difusão utilizado pelo órgão de comunicação, desde que seja em formato escrito.

Cada autor ou grupo pode apresentar dois trabalhos. Podem concorrer jornalistas, qualquer que seja a sua nacionalidade, desde que titulares de Carteira Profissional, de Cartão equiparado a jornalista, de Cartão de correspondente estrangeiro ou de Título Provisório de Estagiário em Portugal. As candidaturas devem ser submetidas até ao dia 1 de junho de 2021, por via eletrónica, através do preenchimento do formulário disponível no site do prémio.

Presidido por Nicolau Santos, Presidente da Agência Lusa, o júri do prémio será ainda composto por Manuel de Carvalho, Diretor do jornal Público, João Vieira Pereira, do jornal Expresso, Teresa de Sousa, do jornal Público, dois meios de comunicação marcantes na carreira de Vicente Jorge Silva, e ainda Daniela Maria, jornalista reformada da Antena 1 Madeira.

Em nota de imprensa, Gonçalo Caseiro, Presidente do Conselho de Administração da Imprensa Nacional – Casa da Moeda, afirmou que “é com um sentido maior de serviço público que prosseguimos a missão de contribuir para uma sociedade informada e livre com esta iniciativa, relembrando a importância do trabalho e do rigor do Vicente Jorge Silva no jornalismo, não podendo deixar de apoiar e incentivar aqueles que continuam a escrever em língua portuguesa.”

A imagem e a identidade do prémio foram desenvolvidas por Henrique Cayatte, designer e ilustrador português com uma carreira marcada pelas colaborações com a área editorial da INCM. Convidado por Vicente Jorge Silva para integrar a criação do jornal Público, Henrique Cayatte foi ainda cofundador, editor gráfico, ilustrador e autor do design de toda a publicação e suplementos do jornal. Para a marca deste prémio o designer português optou pela representação, em três retângulos, dos jornais que marcaram a vida de Vicente Jorge Silva: o Comércio do Funchal, o Expresso e o Público.

Texto de Isabel Marques
Fotografia da cortesia da organização