O Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de São Bento, criado há 33 anos no concelho de Serpa, está a preparar um concerto no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, no dia 20 de março de 2020.

Este grupo de cantadores mantém uma antiga tradição que terá surgido na agricultura, quando grupos de homens e mulheres humanizavam a sua faina entoando, em conjunto, as belas modas do cancioneiro alentejano. Atualmente, o Rancho de Cantadores representa com distinção o Cante Alentejano, considerado em 2014 Património Cultural e Imaterial da Humanidade pela UNESCO. Para celebrar os cinco anos de reconhecimento, os Cantadores de Aldeia Nova de São Bento preparam-se para apresentar um concerto único, em que terão António Zambujo, Jorge Benvinda, Luísa Sobral, Pedro Mestre (viola campaniça) e Mafalda Vasques com convidados especiais.

Pedro Mestre, também ensaiador e diretor musical do grupo, esteve à conversa com o Gerador e admitiu que, na essência do grupo de cantadores, nada mudou após a distinção da UNESCO. “Desde muito cedo, o Rancho de Cantadores tem vindo a delinear objetivos e a atingi-los, para que se possa apresentar o Cante com dignidade e para que se possa levar o Cante a lugares de mérito”. No entanto, quer a nível nacional, quer no trabalho feito pela comunicação social, Pedro confirma que houve maior destaque dado ao cantar alentejano desde que foi considerado Património Cultural e Imaterial da Humanidade.

Desde a sua fundação em 1986, o Rancho tem mantido sempre a sua atividade, prestigiando a vila, o Alentejo e o país através de atuações por todo o mundo: no Brasil, nos EUA, na China (Macau), na Alemanha, em Espanha, em França e na Bélgica. Em Portugal, já passou pelos Coliseus, pela Culturgest e pelo Teatro Nacional de São Carlos. Este intenso trabalho de divulgação cultural de um cantar tradicional é tão mais rico quanto maior for a partilha e a aprendizagem entre cantadores. Num grupo com idades compreendidas entre os 15 e os 93 anos, Pedro Mestre não hesita: “Todos nós aprendemos uns com os outros. Há áreas em que os mais novos dominam, como por exemplo querer ver o Cante nas redes sociais, querer saber onde está este Cante, querer divulgar e projetar o Cante. Os mais velhos trazem para nós experiências de vida em tempos idos, o conhecimento de muitos anos de cantadores".

Em 2016, foram desafiados a gravar um disco por António Zambujo, o qual intitularam de Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de São Bento. Com edição da Universal Music, os cantadores de Serpa veem o seu trabalho ser disco de ouro, o que é um motivo de enorme satisfação. “É o exemplo a seguir para demonstrar que o Cante está vivo, que se transmite a cada dia que passa e que a tradição se faz todos os dias”, afirma Pedro Mestre. Podes ouvir o disco aqui e entender esta contemporaneidade do Cante que o ensaiador do grupo defende.

 

O Gerador desafia-vos a marcar na agenda o concerto do Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de São Bento, para ver e ouvir ao vivo em março de 2020. E Pedro Mestre deixa-vos o convite: “Todos os que possam amar e gostar da música tradicional, sejam ou não alentejanos, que vão assistir a este concerto porque com certeza sairão com mais conhecimento sobre aquilo que é o Cante Alentejano e com aquilo que pode ser feito a partir do Cante Alentejano”.

Texto de Rita Dias
Fotografia disponível no Facebook

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.