A Capote Música, projeto cultural de Évora, traz uma primavera cheia de novidades com concertos a começar já no dia 23 de abril. "Estamos inquietos de voltar a estarmos juntos e a proporcionar momentos de descoberta, entretenimento e partilha".

Após terem sido levantadas algumas restrições, referentes à pandemia covid-19, a cultura vai saindo das casas dos portugueses, para voltar às ruas e às salas de espectáculo. A Capote Música, começa o mês de abril com novidades. Concertos, eventos que juntam a música e a gastronomia e novos projetos multidisciplinares, para continuarem a dar vida à comunidade. Este novo ciclo de música e eventos, parte também do apoio do programa da DGARTES - Programa e Desenvolvimento de Públicos para o ano de 2021.

O projeto cultural de Évora, formado por uma equipa de músicos, produtores e criativos que trabalham na promoção e valorização da nova música portuguesa, trazem para o palco do Centro Cultural Malaposta, a banda Noves Fora Nada, no dia 23 de abril pelas 21h e a banda Baleia Piloto, no dia 20 de maio pelas 21h.

Os finais de tarde no Alentejo serão ainda temperados com o Music'al dente, que traz projetos de música portuguesa ao espaço da MIAU Associação Cultural, a partir do dia 30 de abril, com VALU e no dia 14 de maio com Não Simão. A organização afirma que, "se tudo correr de feição", até agosto irão anunciar mais nomes para uma "degustação musical para todos os palatos".

A Capote Música, numa co-organização com a Câmara Municipal de Évora, anuncia ainda a sua mais recente iniciativa, Portadores de Arte, onde abrem as 'abas do capote', com o objetivo de chegarem a mais pessoas e mais territórios dentro do concelho de Évora. Esta é uma iniciativa que, através da prática artística e cultural, numa estratégia de co-criação, propõe criar um ciclo de produção e programação artísticas multidisciplinares e colaborativas com e para a comunidade, promovendo a participação e o acesso à arte de forma equitativa, inclusiva e regular.

Outros eventos e produções como o Capote Fest e Capote à Sombra, marcam o trabalho da Capote Música no seu investimento num intercâmbio de igual para igual com o que de melhor se faz na música em Portugal, trabalhando na criação de um circuito alternativo e sustentável que dê visibilidade à nova música portuguesa.

Texto de Patrícia Nogueira
Fotografia via Pexels
Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.
capote musica