Todas as quintas às 19h30 a Central Gerador abre portas para uma conversa com 3 convidados, moderada pelo Gerador, que nos ajudam a responder a uma pergunta. Esta semana, no dia 13 de Junho, vamos falar sobre como fazer cultura para a infância.

Para nos ajudar a pensar este tema, desafiámos o professor, actor, encenador e investigador Gustavo Vicente, a actriz, criadora, assistente de encenação e mediadora cultural Leonor Cabral e, ainda, a ilustradora e designer gráfica que, desde 2004, faz parte da equipa da editora independente portuguesa Planeta Tangerina, Yara Kono.

Curioso por saber mais sobre cada um dos convidados?

Gustavo Vicente

É professor na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde é responsável pelas cadeiras de Correntes de Dança Contemporânea, Estudos de Performance e Prática como Investigação.

É investigador do Centro de Estudos de Teatro da mesma faculdade, onde também é coordenador do grupo de investigação Discursos Críticos em Artes Performativas.

Trabalha como actor desde 2001 com vários criadores nacionais e internacionais em teatro e cinema. Em 2009, ganhou o prémio de Melhor Espetáculo do FATAL – Festival Anual de Teatro Académico de Lisboa com a sua primeira criação como encenador e mais recentemente, em 2019, o prémio de Melhor Espectáculo Solo (Guia dos Teatros) com uma criação para os mais jovens. É colaborador assíduo do Teatro do Vestido desde 2013.

Leonor Cabral

É licenciada em Teatro – Formação de Actores (ESTC) e tem mestrado em Estudos de Teatro pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa – FLUL.

Em 2015 participou na XXIV edição do projecto europeu teatral École des Maîtres. Trabalha como actriz, criadora, assistente de encenação e mediadora cultural. Tem trabalhado em projectos teatrais para a infância, tais como Antiprincesas: Frida Kahlo e Juana Azurduy, com encenação de Cláudia Gaiolas, Pangeia e Gulliver, encenado por Tiago Cadete, entre outros.

Yara Kono

Nasceu em São Paulo no Brasil. É ilustradora e designer gráfica.

Estudou Farmácia Bioquímica na Universidade Estadual Paulista, mas já nas aulas de Citologia os seus desenhos eram os mais populares. Durante o curso, estagiou numa agência de publicidade onde muito provavelmente nasceu a vontade de seguir outro caminho que não o farmacêutico. Estudou Design e Comunicação na Escola Panamericana de Arte e foi bolseira no Centro de Design de Yamanashi, no Japão.

Hoje vive em Portugal onde desde 2004 faz parte da equipa da editora independente Planeta Tangerina, que publica obras de ficção e não ficção juvenis.

Até 30 de Junho, continuamos a celebrar os 5 anos do Gerador com um mês de programação na Central Gerador, o novo espaço dedicado à promoção da cultura portuguesa no Lumiar, em Lisboa. De quinta a domingo, entre as 12h e as 24h, é possível que encontres cinema, conversas, exposições, poesia, dj sets ou mesmo feiras.

Para acompanhar tudo isto e porque o Gerador quer aconchegar estômagos alheios, o Café Central estará também aberto de quarta a domingo com petiscos e bebidas que aconchegam o estômago e elogiam a gastronomia portuguesa.

A entrada para todas as iniciativas é livre.

Onde fica a Central Gerador?

A entrada faz-se pela Rua Luis Pastor de Macedo, nas traseiras do edifício da Junta de Freguesia do Lumiar, pelo portão verde que estará aberto. A Central Gerador fica no Largo das Conchas, Casa da Cidadania, nº 5, Lumiar (Lisboa).

Créditos – Foto de Diana Mendes