Concertos, debates e encontros de escolas e artistas marcam mais uma Festa do Jazz, nos dias 12 e 13 de setembro. Pela primeira vez, a 18ª edição ocorrerá no Centro Cultural de Belém (CCB) e terá como objetivo principal “apoiar, cuidar e incentivar a comunidade dos músicos de jazz portugueses.”

De acordo com a nota de imprensa enviada à agência Lusa, o debate pretende, ainda, recuperar referências históricas, “de forma a refletir sobre o momento que vivemos no que diz respeito às questões raciais que estão no mesmo patamar das questões de género e de igualdade.”

O evento terá início, no dia 12, com a apresentação de um livro dedicado à própria Festa do Jazz. Ainda neste dia, no que toca à componente musical, o festival ficará marcado pelo concerto de Mali M’Mbuli Baaba, em homenagem a Bernardo Sassetti, no ano em que o pianista completaria 50 anos.

Pelo palco do Pequeno Auditório do CCB irão passar, ainda, ao longo dos dois dias, artistas e projetos como Tomás Marques Quarteto, Andy Sheppard Costa Oeste, Gabriel Ferrandini “Volúpias”, João Barradas (a solo), Ricardo Toscano “The Sound of Desire.” Fazem ainda parte da programação nomes do jazz português como Carlos Martins, João Paulo Esteves da Silva, Carlos Bica e João Lobo e, um segundo, com Inês Proença, Maria Fonseca, Sofia Queiróz e Beatriz Félix.

Cartaz de divulgação, via facebook “Festa do Jazz”

A somar a estes artistas, a programação da Festa do Jazz vai voltar a incluir o Encontro Nacional de Escolas, permitindo, assim, a descoberta de novos talentos do jazz nacional. A JB Jazz Clube, Art’J – Escola Profissional de Artes Performativas da JOBRA, a JAHAS Rockschool Porto, Curso Profissional de Instrumentista de Jazz da Bemposta e o ESMAE – Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, Universidade Lusíada de Lisboa e Universidade de Évora são algumas das instituições que vão pisar o palco.

Tal como nas edições anteriores, todos os concertos da Festa do Jazz 2020 serão transmitidos em direto através da plataforma RTP Palco. O dia será igualmente assinalado pela atribuição dos Prémios RTP / Festa do Jazz. Através de uma parceria entre a organização do evento, a cargo da Associação Sons da Lusofonia, e a RTP, que “promove a música improvisada portuguesa”, dar-se-á a conhecer “os melhores músicos nacionais de cada ano”.

A edição de 2020 vai promover, também, uma recolha de donativos para o Fundo de Solidariedade da Cultura, que pretende “apoiar individual e financeiramente o maior número de pessoas possível” em situação de carência devido a cancelamentos ou adiamento de atividades culturais devido à pandemia da Covid-19.

Com organização da Associação Sons da Lusofonia, a 18.ª edição da Festa do Jazz realiza-se com o apoio da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, a Direção-Geral das Artes, do CCB e do DST Group.

Em 2019, depois de 15 edições no Teatro São Luiz, entre 2003 e 2017, e uma em vários espaços do Bairro Alto, em 2018, a Festa do Jazz, uma iniciativa da Associação Sons da Lusofonia, decorreu nos vários espaços do Capitólio, no Parque Mayer.

Texto de Lusa e Isabel Marques
Fotografia disponível via Facebook “Festa do Jazz”