“Informamos que o Cinema Nun’Álvares se encontra encerrado por tempo indeterminado. As nossas desculpas por qualquer inconveniente. Esperamos voltar em breve!” é o anúncio que se lê no último post do blog do Cinema Nun’Alvares. Encerrado desde 2011, abre novamente as portas a partir de sábado, dia 6, com uma nova vida: a de um clube de jazz

Hot Five Jazz&Blues Club é o nome do novo espaço gerido por Alberto Índio, que avançou à Lusa que assinou “um contrato de arrendamento por dez anos” com o senhorio. O espaço terá “uma lotação aproximada de 200 pessoas, com mesas e 100 lugares sentados, as cadeiras são as da velha sala de cinema “e o palco também é o mesmo, em meia-lua”, situando-se diante da tela onde os filmes eram exibidos, especificou.

O novo clube de jazz situa-se na Rua de Guerra Junqueiro, junto à Avenida da Boavista e, na opinião de Alberto Índio, vem preencher uma lacuna nesta zona da cidade, que tem que ver com a ausência de estabelecimentos deste tipo numa zona essencialmente residencial, mas também com vários hotéis, cujos “clientes têm de se deslocar à Baixa” para os encontrar.

O Hot Five Jazz&Blues Club – Uptow funcionará é um estabelecimento homónimo do que há 13 anos abriu com o nome Hot Five, no Largo Actor Dias, a dois passos do antigo Governo Civil do Porto e da Muralha Fernandina e com uma clientela em que os estrangeiros predominam. 

O clube tem “uma sala lindíssima, acessos fáceis e vários hotéis perto”, resumiu Alberto Índio, anunciando concertos de quinta-feira a sábado e um espetáculo de humor aos domingos, o primeiro dos quais com os comediantes Francisco Meneses e Miguel Sete Estacas.

O Cinema Nun’ Álvares abriu em 1959 com 192 lugares, fechou em 2006, aparentemente vítima da abertura de numerosas salas de cinema inseridas em centros comerciais, reabriu, ainda assim, em 2009 e dois anos depois encerrou por “tempo indeterminado”. 

A inauguração, no sábado, conta com um concerto gratuito pela banda residente da casa, composta por Carlos Azevedo, na bateria, João Paulo Rsado, no contrabaixo, Ricardo Formoso, no trompete, e Miguel Santiago, na bateria, quarteto este que será acompanhado pelo “músico luso-canadiano” Jeffrey Davis, no vibrafone.

Vai acompanhando o Hot Five Jazz&Blues Club, aqui.

Texto de Carolina Franco e Lusa
Fotografia de Christian Chen via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.