Devido ao agravamento da situação pandémica, o cinema São Jorge prescinde da versão presidencial da KINO – Mostra de Cinema de Expressão Alemã que este ano acontecerá na plataforma digital Filmin e reagenda a primeira sessão das “Histórias da Formiga Rabiga” para o dia 21 de fevereiro.

A 18ª edição da mostra de cinema Alemã, apresenta obras destacadas em festivais internacionais e de realizadores emergentes oriundos da Alemanha, Áustria, Suiça e Luxemburgo. O evento decorrerá de 21 a 27 de janeiro, pela primeira vez no formato online, exclusivamente na plataforma portuguesa de cinema independente, Filmnin,

As produções dividem-se em três secções. Em “Visões são apresentados filmes que pertencem ao grande ecrã, não só por causa dos realizadores e do elenco, mas também, pela linguagem visual e o impacto das histórias. Berlin Alexanderplatz de Burhan Qurbani e “Golpe de Sorte” de Peter Payer, são duas das quatro criações. A secção “Perspetivas” reúne trabalhos “descomprometidos e inspiradores que revelam perspetivas muito próprias acerca das realidades atuais”, tendo como exemplo “Diz-me Tu Então” de Michael Fetter Nathansky e “Lar Doce Lar” de Johannes Maria Schmit. Por último, “Realidades” aplica-se a documentários como “Pode Ficar para amanhã” sobre uma família em habitação social, em Viena, num “círculo vicioso de falta de perspetivas e de inatividade”.

“Histórias da Formiga Rabiga”, faz parte do projeto educativo do Cinema São Jorge que tem como objetivo encontrar um “estimulo comum” que impulsione interesse pela criação e que tem como primeira sessão os contos “Hansel e Gretel”.

“Consiste numa série de momentos musicais que foram originalmente pensados para acompanhar uma representação teatral da peça homónima do dramaturgo Henrik Ibsen, em 1876. Na companhia de excertos destas partituras, aqui adaptados para um quinteto de sopros, as Histórias da Formiga Rabiga convidam-nos, primeiro, a viajar até uma floresta onde guloseimas tentadoras nos expõem ao perigo da bruxa malvada”.

EGEAC, a empresa municipal de gestão cultural de Lisboa, refere em comunicado de imprensa que todos os teatros, museus, monumentos, galerias e cinema de que são responsáveis, serão encerrados ao público, contudo, a empresa irá “assegurar o cumprimento dos contratos com artistas, companhias e agentes culturais, salvaguardando os acordos e as expectativas assumidas, e irá manter uma ligação estreita com os públicos, proporcionando experiências culturais diversas, mesmo que à distância.

Texto de Filipa Bossuet

Fotografia disponível via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui