A ilustradora e ativista Clara Não vai trazer as suas obras até ao Príncipe Real. Nos próximos dias 25, 26 e 27 de novembro, a Art Room vai ser palco da exposição “Porque o meu coração é piroso, mas”, que explora a dor de um coração partido e as mazelas que ficam e antecedem a recuperação.

“No meio de um coração partido, a três quartos ou em cacos, tu és só tua. A tua dor é tua. O coração é teu. As memórias são tuas”, lê-se na sinopse. “É pegar no coração partido e tomá-lo como empoderamento. Está partido? Está. Mas é teu, muito teu, só teu. Toma a dor. Percebe-a, canaliza-a, a seu tempo. Resolve o que tens para resolver. Não esqueças, ultrapassa. Isto não é um clube do coração partido, é um clube feminista, em que as emoções são para sentir. [...] Tens direito a fazer piadas, tens direito a sentir tudo o que vai dentro de ti. A dor é tua, mas o futuro é teu também. Podes continuar a ter carinho pela pessoa, mas isso não anula o mal que se fez. “O meu coração é piroso, mas” há vida para lá da dor“, lê-se.

Esta mostra será “em modo open studio”, com “sentimentos e reflexões sobre sexualidade e feminismo que a Clara usa à flor da pele” é referido na nota enviada ao Gerador.

A sessão de “pré-inauguração”, para convidados, acontece no dia 25, das 15h às 18h. Dessa hora em diante (até às 21h), a mostra estará de portas abertas para o público em geral. Este evento inclui ainda uma performance, que acontece uma vez por dia, ao longo dos três dias, sempre às 19h. Importa ainda referir que, nos dias 26 e 27 a exposição pode ser visitada durante mais tempo, entre as 14h e as 21h. A artista estará presente todos os dias, fazendo apenas “uma pequena pausa de lanche para restabelecer energias”.

No dia da inauguração, é pedido a todas as pessoas visitantes que mostrem os certificados e o cartão de cidadão à entrada. “Como prevemos um aglomerado de pessoas, mais o vinho [oferecido] Vilacetinho (eheh), a distância social será mais difícil de garantir. Se não estiveres vacinada por algum motivo, podes trazer um auto-teste contigo e fazê-lo no exterior da galeria — não recomendamos, pela confusão que pode gerar, mas não excluímos ninguém.  Na sexta e no sábado não será necessário apresentar certificado. No entanto, recomendamos afincadamente o uso de máscara. Queremos que toda a gente se sinta confortável e segura”, é ainda referido na informação divulgada.

Texto de Sofia Craveiro
Fotografia de Kelly Sikkema via Unsplash

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal clica aqui.