Como se desenha uma casa é um podcast da autoria do ator e dizedor de poesia Pedro Lamares, feito para o site aos vossos lugares, criado nesta fase de isolamento pela comunidade Brotéria, Cristianismo e Cultura.

O título do podcast é também o título do último livro de poemas de Manuel António Pina. E a casa “desenha-se de amigos, ideias, poemas, utopias, música, vinho. Desenha-se a casa dentro e fora de casa”. É assim que Pedro Lamares apresenta este trabalho, de dentro e de fora, e convida o seu pai Gustavo, já falecido, para trazer a sua história (deles) aos nossos lugares. “Está na origem. O meu pai está na origem da experiência não performativa da expressão. Nos círculos dos amigos do meu pai, sempre se cantou, tocou e disse poesia. É um pouco isso que acontece no interior da casa: entram os amigos, experimenta-se a liberdade, fazem-se acontecer coisas que, por vezes, acabam por ter alguma manifestação exterior, não tendo nascido com essa finalidade. De alguma forma, o interior da casa e os círculos de expressão e reflexão são também espaços que resultam da observação, preocupação e reação ao exterior: o mundo, o contexto e a sociedade em que estamos inseridos”, explica Pedro ao Gerador.

Como se desenha uma casa surgiu a Pedro Lamares na sequência de um desafio do seu amigo João Sarmento, que quis que participasse no projeto e site aos vossos lugares, ao lado das contribuições de Moreno Veloso, Kalaf Epalanga, Capicua ou Chapitô. “Desse convite, pensei que talvez pudesse criar uma coisa com alguma continuidade e, daí, nasceu a ideia de um podcast”, que podes ouvir na íntegra aqui.

Entre os seus espetáculos de poesia, um deles A Poesia é Uma Arma Carregada de Futuro, o espetáculo que faz em dupla com Lúcia Moniz, Para Atravessar Contigo o Deserto do Mundo, agora suspensos por tempo indeterminado, as participações em novelas, em filmes e em séries, como A Espia e 3 Mulheres, e o programa de literatura da RTP 2, Nada Será Como Dante, Pedro Lamares vive pela palavra. “É, sem dúvida, pela palavra que desenho o meu trabalho e o meu mundo. Na forma como me dou aos outros, quero acreditar que existem outras dimensões menos explícitas, mais táteis. Talvez seja isso, a ausência dessa experiência tátil, presencial, que traz urgência de voltar à palavra e o recurso às tecnologias digitais”.

A combinação da palavra com a tecnologia é o que permitirá que o podcast Como se desenha uma casa esteja, em breve, disponível em todas as plataformas digitais. Assim acontecerá quando o podcast começar a ser publicado com periodicidade quinzenal, já a partir da segunda semana de maio. E não estará sozinho: “os convidados e as convidadas serão sempre pessoas que, sendo ou não do círculo artístico, de alguma forma habitam a minha casa, a minha construção de mundo, o meu espaço de cumplicidade e reflexão, seja pela admiração, pela amizade ou pela contaminação artística”.

Como se desenha uma casa tem a edição de Leonor Figueiredo e, como futura imagem do projeto, um desenho da artista plástica Ana Aragão. E agora, aos vossos lugares, descubram como se desenha uma casa.

Texto de Rita Dias
Fotografia de Vitorino Coragem

Se queres ler mais notícias sobre a cultura em Portugal, clica aqui.